Delecampio José Menassa

Informação

Este artigo foi publicado em 26/02/2009 e está arquivado em Igreja.

Dons Infusos

DONS INFUSOS.

 

Deus vem derramando seu espírito sobe a igreja para nos levar à vida de oração, de meditação e de adoração, porque nos querem santos. Quer que procuremos viver a paz com todos e ao mesmo tempo a santidade, sem o qual ninguém pode ver o senhor.

Mas o homem foi atingido no seu ser, pelo pecado, e o pecado enfraquece todo homem, na sua vontade, abala e confunde a liberdade que Deus nos dá; atinge todo centro emocional, psíquico e espiritual do homem. Mas o espírito santo de Deus; enviado para nós por Jesus, realiza em nós a restauração dos elos quebrados; pelo batismo somos mergulhados na graça de Deus, e que a força do Espírito Santo que nos dá condições de sermos restaurados para amá-lo e servi-lo, nos animando não somente para alcançar o reino dos céus, mas para viver o reino de Deus aqui na terra.

O Espírito Santo; procede do Pai e do filho Jesus, nosso salvador.

JOAO 15,26 – Quando vier o paráclito; que enviarei da parte do Pai. Ele dará testemunho de mim.

Sua missão é uma ação transformadora, para uma santificação a fim de renovar e restaurar a imagem e semelhança de Deus em nós. Rejuvenesce a igreja, renova perpetuamente a união da igreja com Deus. Igreja (povo reunido na unidade do pai e do Espírito Santo).

O Espírito Santo gera em nós comunicação perfeita com Deus pelos dons.

 

DONS DE SANTIFICAÇÃO.

 

DONS HIERÁRQUICOS OU INFUSOS recebidos no batismo e confirmados na crisma pra o fortalecimento de cada um, na sua santificação. Para crescimento e fortalecimento pessoal.

 

DIFERENTES DONS CARISMÁTICOS graças e ferramentas dadas para o bem comum e edificação da igreja. Usadas para auxiliar o seu irmão e construir comunidade, no exercício da caridade. Vamos nos aprofundar nos dons de santificação pessoal (dons hierárquicos ou infusos), no batismo o Espírito Santo infunde (virtudes sobrenaturais e os dons de santificação).

 

VIRTUDES – são bons hábitos que praticamos que tornam nossa alma capaz de executar com facilidade, prontidão e prazer tudo o que somos convidados por Deus.

 

VIRTUDES TEOLOGAIS - são a fé, esperança e a caridade: a fé consiste em crer; a esperança em ter certeza de realização das promessas de Deus; a caridade em amar a Deus e ao próximo.

VIRTUDES CARDEAIS – prudência, justiça, fortaleza e temperança:

Prudência – consiste em examinar com bom senso;

Justiça – dar ao próximo o que lhe pertence / dar a Deus o culto devido;

Fortaleza – ter paciência e aceitação das dificuldades, não desanimar diante dos problemas e permanecer fiel nas tentações.

Temperança – moderação nos prazeres sobriedade na bebida e na comida, castidade, humildade (moderação de si próprio).

As virtudes são praticadas dia a dia, se tornamos ativos a praticá-los e exercitá-los.

Os dons requerem de nossa parte entrega e docilidade.

 

VIRTUDE - quando a criança começa a andar, segurando nas mãos do pai, mas cada passo lhe custa um esforço enorme.

 

TEMOR A DEUS – o conhecimento do grande amor de Deus por nós, l JO 4,18 – no amor não há temor, pois o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor envolve castigo, e quem teme não é perfeito no amor. (l JO 4,18 precisamos diferenciar o temor de Deus de medo).

 

TEMOR DE DEUS – o temor humano é medo; o filho tem medo do pai ou da mãe; o aluno teme a professora; medo de escuro; medo de andar de avião, elevador.

 

TEMOR SERVIL – é o medo de ser castigado por Deus, não é perfeito porque não é amor, é medo.

O temor de Deus é filial, é não querer fazer nada que possa nos afastar do pai que nos criou e nos ama. O filho que ama o pai não quer ficar longe dele, nem fazer algo que possa magoar.

O temor de Deus é um dom do Espírito Santo que nos inclina ao respeito filial a Deus e nos afasta do pecado.

Perto de Deus e longe do pecado que nos afasta de Deus.

No crescimento a abertura ao dom do temor a Deus, passamos por:

1ª FASE – em que o Espírito Santo produz em nós o horror ao pecado e as forças para vencer as tentações.

2ª FASE – além do horror ao pecado, passamos a aceitar coisas que não são pecado, mas são sinais de imperfeição, e passamos a valorizar a igreja, os sacerdotes e tudo que é sagrado.

3ª FASE – aderimos tão profundamente a Deus que nos afastamos de tudo que não nos leva a Deus, todo o supérfluo perde o valor para nós. Chegamos ao ponto glorioso que Jesus disse: MT 5,3 Sermão da Montanha, bem aventurado os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus.

Condição para receber esse dom é a humildade (MT 18,4) Jesus disse que aquele que se fizer humilde como esta criança será maior no reino dos céus.

(LC 18,14), pois todo que se exaltar será humilhado e quem se humilhar será exaltado.

(Tiago 4,6 e Pd 5,5) Deus resiste aos soberbos, mas dá a tua graça aos humildes. Podemos orar pedindo: Jesus manso e humilde de coração faça o nosso coração semelhante ao vosso.

O temor a Deus é a abertura aos outros dons de santificação.

PROVÉRBIOS 9,10 “O temor de Deus, é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do santo é a inteligência”.

A sabedoria humana é falha e limitada; a sabedoria de Deus é como um raio de luz provindo de Deus que ilumina nosso entendimento e aquece o nosso coração.

 

SABEDORIA – somos desligados das coisas de Deus pelo pecado, o Espírito Santo, através do dom de sabedoria, nos ajuda a afastar-se do mal, nos dá saber espiritual para viver a vida de Deus, em união com Deus, fazendo o que é agradável a Deus.

(Sabedoria 9,6) oração (rei Salomão) pedindo sabedoria diz: mesmo que alguém fosse o mais perfeito dos homens, se lhe faltasse à sabedoria que provém de ti; ele de nada valeria. Ela sabe o que é agradável aos olhos do senhor e o que é conforme os teus mandamentos.

Dom de sabedoria não é o mesmo que dom carismático de palavra de sabedoria, palavra de sabedoria é dom de serviço onde Deus dá uma palavra que serve de conselho ou consolo pra nosso irmão.

O dom infuso de sabedoria é o dom de santificação pessoal que nos faz saborear o entendimento das coisas de Deus, e amar tudo o que Deus fez e faz por nós.

Compreendemos que Deus é amor. Todos os dons e virtudes são fortalecidas em nós porque experimentam a presença amorosa de Deus, e com certeza que iremos provar intensamente essa presença na vida eterna.

A sabedoria celeste fez Maria (Nossa Senhora) compreender e aceitar os planos de Deus para sua vida, e a encheu de amor a Deus e ao próximo.

 

 

FORTALEZA – o espírito dá força e coragem, para suportar e superar os problemas e tentações, pois a nossa vontade fica enfraquecida pelo pecado. Fraqueza x força Paulo afirma-tudo posso naquele que me fortalece, e Paulo passou por muitos sofrimentos e provações, mas era sustentado pelo senhor.

Atos 7,59 – encontramos o sofrimento e sacrifício de Estevão; 1° mártir cristão: embora Estevão, cheio de graça e fortaleza, fizesse acontecer grandes milagres e prodígios, porque falava grande sabedoria inspirado pelo Espírito Santo, foi condenado a morrer apedrejado. Durante o martírio orou: senhor Jesus recebe o meu espírito, ao sentir a morte se aproximar, pôs-se de joelhos e pediu ao senhor que não levasse em conta o pecado daqueles que o agrediam.

Todos nós passamos por tribulações, perda de entes queridos, doenças graves, desemprego, fracasso, separações familiares. Coisas que humanamente não podemos suportar; caímos em desespero, mas se abertos ao Espírito Santo, recebemos o dom de fortaleza, e fortalecidos no senhor nosso Deus superamos as tribulações.

Conhecemos muitas situações em que as pessoas são amparadas pelo dom da fortaleza, por exemplo, uma mulher fica viúva com filhos pequenos, consegue sustentar a família e ainda dar formação cristã a seus filhos, se tornam verdadeiras fortalezas.

A freqüência à eucaristia, nos auxilia a nos abrir ao dom de fortaleza e se tornar fortes diante das tribulações.

Durante a 2ª guerra mundial Pe Maximiliano Kalbe estava entre os prisioneiros num campo de concentração; como havia constante fuga entre os prisioneiros, o comandante declarou que se o preso fugisse, escolheria 10 presos para morrer como castigo. Algum tempo depois houve nova fuga, o comandante escolheu 10 presos ao acaso, um homem ainda jovem se desesperou suplicando viver, pois tinha filhos pequenos para criar. Pe Maximiliano ofereceu-se ao comandante para morrer no lugar. Foi entre os condenados para uma cela subterrânea sem luz, água e alimento, até que morressem de inanição. Pe Maximiliano soube converter a Deus seus companheiros e se ouviam orações e cânticos que só silenciavam pela morte.

 

CIÊNCIA – nossa inteligência foi esvaziada do conhecimento de Deus, o espírito através do dom da ciência, nos dá capacidade de conhecer a Deus como criador e valorizar as coisas de Deus, aumentando nossa fé, nos faz ver a realidade da luz de Deus.

Não tem nada haver com ciência da filosofia ou teologia, um teólogo pode ser pecador, e um homem simples está no caminho da santificação.

St° agostinho afirma que o nosso coração permanece inquieto enquanto não repousa em Deus.

O dom da ciência nos faz perder o fascínio pelas coisas criadas, e voltar-se ao criador. Não contemplamos mais a criatura, mas vemos a glória de Deus nas coisas criadas. Tudo conta a glória de Deus: os rios; os mares; o vento; o sol; a lua; as árvores; as flores. Mas o ser no qual mais brilha a glória de Deus é o homem criado a imagem e semelhança de Deus; capaz de conhecer e amar o seu criador.

Para se abrir a esse dom o 1° passo é reconhecer que as coisas são vãs a si mesma, e só deles podem preencher nosso coração.

 

ENTENDIMENTO- (inteligência) o espírito nos dá compreensão das verdades de Deus. dá uma luz de fé, nos tira das trevas do pecado revelando o plano de Deus para nossas vidas. Passamos a entender as verdades das salvação e a doutrina da santa religião; compreende-se o sentido das escrituras; e as comparações feitas na palavra de Deus.

Ex: fomos sepultados com Jesus; na sua morte pelo batismo, para que ressurjamos com ele para a vida nova.

Entendemos e aceitamos a graça de Deus nos sacramentos. Crer em Jesus vivo e real na eucaristia, é bem conhecido o milagre de Lanciano (século XVlll) um sacerdote ao consagrar o pão e o vinho, duvidou e ocorreu um milagre. O pão se tornou carne e o vinho sangue, ambos foram submetidos a exames recentemente por cientistas da NAZA e verificaram ser carne humana do tecido do coração e sangue humano; sangue e carne fresca, não se deterioraram, o que confirma que Jesus está vivo e ressuscitado.

O don da inteligência, o espírito nos faz entender e conhecer estas coisas sagradas, sem que precise um milagre para nos provar.

 

PIEDADE - (equidade) – conhecer a Deus como pai (nosso pai) envolve ter o próximo como irmão (fraternidade) amor aos irmãos, vencer o mal com amor.

Não dar o irmão o que lhe pertence, mas dar tudo o que podemos.

No sermão da montanha Jesus nos disse: “se alguém te citar em justiça para tirar-te a túnica, sede-lhe também a capa.”.

Se alguém vem obrigar-te a andar mil passos com ele, anda dois mil.

Ex: se nosso filho pede mãe/pai vou a uma festa; leva-me, e depois arrumo carona para voltar; nós por amor e zelo, dissemos: eu te levo e vou te buscar, porque queremos que volte com segurança.

O dom de piedade nos faz amar sem medidas o nosso próximo; não dando só o que lhe é necessário, mas tudo o que podemos lhe oferecer e ir além oferecendo a si mesmo pelo outro.

 

CONSELHO – (prudência) – o dom do conselho é o dom de santificação que nos faz viver sob orientação do Espírito Santo, o Espírito nos dá equilíbrio para agir; dando discernimento do que é prudente.

A nossa liberdade fica abalada pelos apelos do mal; o dom do conselho nos orienta de forma perfeita, o Espírito fala ao nosso coração e nos faz compreender o que devemos fazer.

Mt. 10,19-20 – Jesus nos fala sobre o que convém dizer, guiados pelo dom do conselho. “não nos preocupeis nem pela maneira de falar, nem pelo o que haveis de dizer, naquele momento vos será inspirado o que havereis de dizer”. Porque não será vós que falará, mas será o Espírito de vosso Pai que falará por vós.

O dom do conselho nos faz caminhar com segurança, sem tropeços ou timidez pelos caminhos do senhor.  

Eclesiastes 3 – debaixo do céu existe um momento certo para cada coisa, tempo de nascer, tempo para morrer, tempo para plantar, tempo para arrancar o que foi plantado, tempo para construir, tempo para demolir, tempo para falar, tempo para calar, tempo pra abraçar, tempo para separar. Como saber em que tempo estamos: falar ou calar/ plantar ou arrancar, a resposta certa o Espírito Santo nos dá através do dom do conselho que é dom de luz e nos esclarece sobre o caminho a tomar.

 

CONCLUSÃO.

 

O caminho da santificação se inicia pela prática das virtudes, se levarmos uma vida prudente, agindo com bom senso; justiça; uma vida de fortaleza, paciência, perseverança, fidelidade; pautada de temperança, sobriedade, castidade e humildade.

Certamente no exercício destas virtudes; preparamos o nosso coração pra abrir-se aos dons de santificação, dons infusos ou dons hierárquicos. Nossa alma torna-se dócil e obediente ás inspirações do Espírito Santo de Deus.

Deus nos quer santos.

1 Pd 1,15 – sedes santos porque Eu sou Santo.

Isaías 11,1 ss. – Um renovo sairá do tronco de Jessé (pai de Davi) e um rebento brotará de suas raízes. Sobre ele repousará o Espírito do Senhor.

 

POR DELECAMPIO JOSÉ MENASSA.

 

 

 

4 comentários

  1. odair francisco da silva
    15/08/2009

    meu amigo com muito carinho envio este arquivo

    • delecampio
      04/09/2009

      Bom dia.
      Você tentou me enviar algum artigo?
      Eu não recebi, pode me enviar novamente.
      Obrigado.

  2. Helivania Calassara Menassa Torres
    16/06/2011

    Olá ,fico feliz em saber que você também é católico praticante,eu também sou ,participo do Grupo deOração aqui no bairro Zumbi,na comunidade São José Operario e ainda por cima sou sua parente,meus primos que também são seus parentes conhecem vc!!!Que Deus te abençoe e continue guiando os seus passos para esse grande caminho de santificação,amor e luta!!
    Com Cristo somos mais que vencedores!!!Espero que um da venha participar aqui em nossa comunidade de noss grupo de oração!!
    Abraços
    HELIVANIA CALASSARA MENASSA TORRES

    • Delecampio
      25/10/2011

      Fico feliz de ter parentes que louvam a Deus, Deus vos ilumine hoje e sempre, que a graça do senhor esteja contigo e sua familia.
      Delecampio José Menassa.

Deixe um comentário