Delecampio José Menassa

Informação

Este artigo foi publicado em 09/04/2009 e está arquivado em Diversas.

Os donos do futuro

 RESUMO DO LIVRO / Os donos do Futuro

Roberto Shinyashiki.

Editora Infinito.

POR DELECAMPIO JOSÉ MENASSA

 

Leia estas paginas e Melhore sua gerencia na familia e empresa.

 

            Dois pescadores fretaram um avião para levá-los a um rio no meio de uma floresta. Algum tempo depois, o piloto voltou para buscá-los. Olhando o resultado da pesca, observou: “Este avião não agüenta mais que dois pirarucus. Vocês vão ter que deixar os outros dois aqui”.

“Mas o piloto do ano passado aceitou levar os quatro!”, reclamaram.

O piloto, sem graça, concordou então em levar os quatro peixes gigantescos.

Logo depois de decolar, entretanto, o avião não pôde ganhar altura e se espatifou no solo.

Os pescadores, muito machucados, conseguiram descer e olharam ao redor. Um perguntou para o outro:

“Onde será que nós estamos?”

“No mesmo lugar onde caímos no ano passado.”

Repetir o mesmo  erro e viver atrasando a vida.

 

                                                Fé / Futuro    

É de admirar muito a fé e a determinação de um lavrador nordestino que, sem saber se vai chover, planta para poder colher o sustento de sua família.

Contudo, é de se admirar, especialmente, os plantadores de uva de Petrolina (Pernambuco) e de Juazeiro (Bahia), que criaram um sistema de irrigação artificial que traz as águas do rio São Francisco para suas fazendas.

Para eles, chover pode até representar um problema porque altera a quantidade de água de que a planta vai precisar. Eles preferem que não chova para assim determinar o volume exato de água que as uvas receberão. O futuro deles já não é definido pela presença ou ausência da chuva. Suas preocupações são outras: o mercado, como manter a qualidade das uvas, se a Europa vai ou não comprar sua produção. Resultado: colhem as melhores uvas. Eles criaram competências e estruturas que fazem com que o futuro não seja apenas conseqüência da garra, e sim resultado de planejamento cuidadoso.

 Atualmente, o futuro não pode ser enfrentado somente com espírito de luta, com arco e flecha. Precisamos sempre da garra, mas acompanhada de conhecimentos, de tecnologia e de equipes poderosas.

o futuro é a colheita do que você plantou e está plantando. E esse futuro dinâmico não respeita sobrenome. Sucesso no passado não é garantia de vitórias no futuro. Então, o que vai acontecer daqui a dez anos será conseqüência de algo que você está fazendo hoje. Se você está criando uma vida solitária, é inevitável que, no fim, esteja sozinho. Se está criando hoje muito desperdício, é provável que no futuro esteja pobre.

O futuro vai sendo construído a cada decisão que você. toma na vida. Todos os dias estamos dizendo sim ou não às oportunidades da vida, às situações que se apresentam. E a qualidade do “sim” e do “não” que você diz hoje que definirá como será sua vida amanhã.

 

                      PENSAR SÓ EM SI

Hoje é muito comum nas empresas encontrar profissionais do estilo linha dura, que só pensam em lucros, resultados, Cortar pessoas, demitir, jogar fora. São tão frios que parecem açougueiros impassíveis cortando pedaços de carne e jogando o que não serve no lixo. Não percebem que esses resultados que destroem as pessoas são insustentáveis a longo prazo.

 

                           DE MÃOS DADAS

Dinheiro e espiritualidade não são inimigos. Os dois devem ser complementares, pois viver apenas para o dinheiro escraviza as pessoas, e só espiritualidade se transforma em fome e miséria.

Sexo sem amor é simplesmente uma descarga. E como um espirro: cria um alívio, uma sensação de bem-estar momentâneo, mas não constrói nada. Uma relação amorosa em que há somente afeto, que esquece a entrega sexual, com certeza também fica incompleta.

Hoje, a decisão deve ser por amor. O dono do futuro vai atrás do amor. Trabalha para aprender a amar, para encontrar uma pessoa com quem valha a pena crescer. Não tem preguiça de aprender a amar, a mergulhar. Sua “opção é pela vocação, pelo respeito a si mesmo.

Os jovens que vêm chegando não estão mais dispostos a alcançar o sucesso a qualquer preço. Querem o sucesso na sua vocação, no seu chamado, na sua missão. Mas também querem paz. Momentos de quietude que os levem à paz, a qualidade de vida.

Nos supermercados, tudo está ficando descartável. E muitas pessoas querem tratar os outros como se fossem coisas sem importância. Gente não pode ser descartável. Não é possível viver no estilo “usou, joga fora”. Gente é diferente. Até o lixo hoje é reciclável. Como existe gente que imagina usar  enquanto servem para depois descartá-los?

Sozinho não se consegue nada.

 

É preciso trabalhar juntos, crescer

juntos, aprender a fazer parte de um time,

seja no trabalho, seja em casa.

 

ACREDITAR E DELEGAR

É comum que grandes empresários perguntem se algum dia as pessoas de sucesso poderão trabalhar menos.: “Sim, quando aprenderem a trabalhar em equipe”.

Sem equipes competentes, tirar férias é um sonho impossível. Sem equipes integradas, fica muito complicado fazer avançar os projetos. Ou até se consegue realizar os planos, mas pagando-se o preço de estourar as coronárias aos 40 anos.

 

                              NO TOPO A FAMILIA

Lembre-se: de todas as equipes das quais você faz parte, a mais importante é a família. Ela é a empresa mais importante da vida. A empresa onde a moeda não é o dinheiro, e sim o amor. A família é um porta-aviões de onde as pessoas saem para vôos mais ousados. Quando a base é fraca, o vôo é inseguro.

Qualquer engenheiro pode calcular a altura futura de um prédio com base no tipo de fundação que ele tem. A base do tamanho e da sustentação de uma carreira são os valores do indivíduo e sua família. Observe o que acontece com a carreira de um ser humano quando ele está passando por uma separação litigiosa.

Apesar disso, muita gente ainda acredita que pode alcançar o sucesso e a felicidade esquecendo-se da família. Há também aqueles que falam da importância da família, mas sua realidade é bem diferente: eles nunca estão presentes nos jogos dos filhos, não conversam com a orientadora educacional da escola das crianças. Nunca têm tempo para jantar fora com o cônjuge ou, pior, estão sempre cansados quando chegam em casa.

 

AVALIAÇÃO PESSOAL

Imagine que a sua casa é uma empresa. Que nota você daria a um funcionário como você?

Será que você não seria demitido da sua empresa se sempre chegasse atrasado?

Se prometesse e não cumprisse?

Se quisesse sempre ter razão nas discussões?

Competência, planejamento, determinação, espírito de equipe e amor são qualidades essenciais para ser dono do futuro.

Mas também é preciso ter fé, acreditar. Ao olhar para os lados, certamente você vai encontrar crises, corrupção, pessoas competentes desempregadas, empresas honestas quebradas, casamentos desfeitos. E algumas vezes você se pergunta: será que o justo teve chance neste mundo maluco?

Sim, e sempre terá. Acredite nisso. Lute por seus sonhos, você não estará sozinho.

Não podemos mais viver olhando para trás, acomodados no passado.

Os donos do futuro vivem em permanente evolução, como um

verdadeiro ser humano deveria viver.

Este é um mundo em constante mudança, que exige evolução. Exige que vivamos como seres completos, que sabem unir sucesso e felicidade no trabalho, em casa, com o cônjuge, os filhos e os amigos.

Os lentos ficaram obsoletos porque não conseguiram acompanhar a velocidade das mudanças do mundo moderno. São os reis do passado, adoram frases que começam com “no meu tempo…”, “antigamente…”.

Os agitados até podem atingir suas metas profissionais, mas, como são individualistas, não conseguem criar equipes e ficam surpresos quando descobrem a própria decadência. Souberam evoluir tecnicamente, mas não perceberam que sem equipes que lhes dêem suporte serão superados rapidamente.

Os dinossauros agitados têm consciência de que sua vida depende de resultados, mas acreditam que tudo será conquistado solitariamente. Eles se matam, trabalhando dezoito horas por dia, porque não aprenderam a funcionar em equipe. Não confiam em ninguém, precisam conferir tudo, não compartilham informações. Podem até ter sucesso profissional, mas destroem o casamento, a família e a saúde até começar a destruir os resultados.

 

TUDO TEM LIMITE

O ser humano não é uma máquina para trabalhar a vida inteira dezesseis horas por dia sem parar. Aliás, até as máquinas necessitam de manutenção. Muitas pessoas deixam de reservar um tempo para si mesmas. Não curtem a vida. Não têm tempo nem para dormir direito. Não percebem que o tempo de sono é importante para trabalhar com mais prazer, que o lazer é fundamental para desenvolver a criatividade e, principalmente, que ficar com pessoas queridas é básico para manter a alegria de viver.

 

SE ENVOLVER

O sucesso de um profissional somente se torna admirável quando é acompanhado do prazer de estar vivo. Quando ele se envolve com a educação dos filhos. Quando ser pai ou mãe não é um peso porque a família é um verdadeiro time no qual todos têm consciência da própria responsabilidade e curtem o prazer de estar juntos. Quando o casamento é fonte de alegria e prazer.

Infelizmente, ainda existem profissionais que pensam ter de aturar os companheiros porque trabalham na mesma empresa. Esses mesmos profissionais, quando estão em casa, são pais que têm dificuldade em estar com os filhos de forma integrada e participativa. Ainda não se deram conta de que participar da vida familiar e da equipe de trabalho é uma forma muito poderosa de crescimento pessoal.

 

Os times chegam mais longe

 

O individualista é uma espécie em extinção. Durante muitos séculos, as pessoas de sucesso foram aquelas que procuraram soluções individuais… Cada um por si e Deus por todos era o seu lema, fórmula incapaz de criar vitórias hoje em dia. Estamos descobrindo a duras penas que essa filosofia não dá mais

Primeiro: os campeões não querem

trabalhar em uma empresa ou para alguém

que os suga e depois os descarta

 

O modelo do capitalismo selvagem é muito ingrato com as pessoas, e os profissionais competentes fogem dele. Chefes que só pensam em maximizar lucros lembram aqueles sitiantes do interior que abandonavam burros e cavalos na beira da estrada depois que eles ficavam velhos e não tinham mais força para puxar a carroça ou o arado.

Esse modelo, no qual todos se matam para apenas um usufruir, não tem graça e mão motiva as pessoas competentes. Os campeões não querem trabalhar numa empresa em que só os chefes sentem prazer e se realizam.

Não tem graça a esposa trabalhar como um trator e o marido desocupado comprar roupas bonitas e ficar passeando. Nem o antigo esquema em que o marido trabalhava doze horas por dia e a esposa passava a tarde no cabeleireiro ou fazendo compras.

Esse modelo não se sustenta mais. No final do filme, geralmente a pessoa que se sente explorada acaba se cansando e partindo para outro relacionamento.

 

 

A empresa precisa da união de todos para realizar suas metas

“Atrás de um homem competente,

há sempre outros homens competentes.”

                                                                                                  

Atrás de um grande homem a sempre uma grande mulher.

 

INTRIGAS

 

Os jogos de poder consomem a energia que deveria ser utilizada para atingir as metas do grupo. As empresas têm de enfrentar uma concorrência tão grande no mercado que não é mais possível perder tempo com a competição interna.

Fofocas, jogos de bastidores, politicagem na empresa, culto ao ego do chefe, sonegação de informações, sabotagem de projetos alheios destroem a força do grupo.

Jogos de poder, negação de informações, ciúme, ressentimento e medo das mudanças destroem projetos que eram maravilhosos nas planilhas dos computadores, mas nunca vão ocorrer na prática porque não conseguem envolver as pessoas. Quando essas pessoas se unem para um projeto comum mas as equipes não se integram, cada uma tenta sabotar o trabalho do outro. Os gerentes procuram sempre mostrar que a equipe da outra empresa não é do ramo, não conhece o negócio, que eles sabem mais do que os outros, e a união de verdade não se verifica.

Tudo na vida de uma organização de sucesso depende de cooperação entre as pessoas: parcerias com clientes e fornecedores, trabalho conjunto entre distintos departamentos, colaboração entre as filiais dos diversos continentes, troca de informações e idéias de diretores de diferentes divisões, motivação da equipe para buscar resultados.

No time do amor é igual: quem não souber criar parcerias vai viver em permanente solidão. Pode até arrumar novos namorados, mas eles não vão permanecer no relacionamento se não se perceberem numa relação em que os dois constroem juntos.

No casamento: cuidar da casa é tarefa a ser dividida pelos dois. Tanto o homem quanto a mulher devem saber que o desafio de educar os filhos

precisa ser compartilhado. Morar sob o mesmo teto não é garantia de formar uma família feliz.

 

 

 

 

 

 

sozinhos não vamos conseguir vencer

a atual competição

 

São muitos detalhes, muitos compromissos, muitos projetos simultâneos. Parece que sempre há algo a ser feito. As tarefas têm de ser realizadas ao mesmo tempo. Deixar para fazer o 2 depois do 1 e o 3 após o 2 pode ser fatal. O 1, o 2, o 3 e o 4 têm de ser feitos simultaneamente, em velocidade compatível com a rapidez de nossos desafios.

Há quem faça tudo dessa forma, mas só saiba trabalhar sozinho. O preço 6 muito alto: exaustão total, ate chegar ao ponto em que o trabalho começa a perder qualidade. São muitas informações novas chegando ao mesmo tempo. Muitas transformações, muita evolução para uma única pessoa processar. A tendência dos individualistas é valorizar apenas o que conseguem processar. O que não podem avaliar, desprezam.

Uma análise equivocada pode ser catastrófica para a empresa. Nem mesmo Bill Gates, o maior símbolo de competência empresarial, deu importância à Internet e pôs em risco o futuro da Microsoft, que só conseguiu reverter o prejuízo porque rapidamente criou o Explorer. Contudo, já fora dada a oportunidade para o surgimento do Netscape. Imagine então o que pode acontecer com um empresário que não tem uma equipe dessa qualidade.

É preciso estar com os olhos abertos para os outros e, conseqüentemente, para o mundo. Não é possível mais viver no isolamento. Todo mundo conhece a história de Maria Antonieta. Quando lhe contaram que os parisienses passavam fome porque não tinham pão, ela teria dito: “Se não têm pão, que comam brioches”. Isolada no luxo do Palácio de Versalhes, supunha que a vida lá fora fosse igual à sua. Acabou decapitada.

A História e a vida mostram a todo momento que o modelo individualista está falido. Quem, como uma Maria Antonieta moderna, ainda não aprendeu a perceber as outras pessoas está correndo o risco de ser decapitado na carreira, na vida e no amor.

LONGE DO EGOISMO E DA REALIDADE

Normalmente, um adolescente drogado não se faz em semanas. Esse processo leva alguns anos, mas os pais, fechados num mundo particular, não conseguiram perceber a solidão do filho. Cada um está tão envolvido em seu projeto que não se dá conta do que está acontecendo na vida do filho.

No casamento ocorre a mesma coisa: uma separação não toma forma de um dia para outro. E resultado de tempos de distanciamento e falta de comunicação, até que um dos dois sai de casa. Não importa quem partiu. Quem foi abandonado quase sempre se sente traído, mas a separação é fruto do distanciamento que ambos criaram dia após dia.

E fundamental respeitar os seus valores, a sua vocação. Isso se chama individualidade. Não deixe de ser você para agradar aos outros. Mas pensar somente em você não tem mais sentido num mundo que precisa da cooperação de todos.

Abra sua agenda e analise seus compromissos. Comece pensando na relação com a sua secretária: você já se deu conta de que os dois formam um time? Que tipo de time vocês são? Um time unido ou duas pessoas que fazem o que é preciso sem se comunicar, cada uma esperando que a outra esteja fazendo o que deve?

 

                                               FAMILIA

Pense agora na relação com seus filhos. Você está no trabalho e recebe um telefonema de sua filha, que pede orientação sobre a lição de casa ou, pior, você sabe que ela não está estudando para um exame decisivo no dia seguinte. Ensinar responsabilidades por telefone é complicado. Não teria sido melhor que o diálogo tivesse ocorrido antes? Mas você reservou algum tempo em casa para que isso acontecesse? Você e seus filhos vivem como um time? Ou simplesmente moram na mesma casa?

E o dentista que não entende que você não pode ficar com a restauração quebrada até a próxima semana? Ele também não aprendeu que vocês jogam no mesmo time. Ainda não sabe que precisa deixar você satisfeito para ajudá-lo a conseguir mais clientes. Sem clientes felizes, ele irá à falência.

Você chega à reunião com seu pessoal e todos o olham com cara de quem diz: “Favor falar logo que eu tenho mais o que fazer”. Provavelmente seu pessoal não está entendendo que vocês precisam formar uma equipe afinada para realizar as metas programadas.

Sua ex-mulher lhe telefona pedindo dinheiro extra para o conserto do carro. Você fica irritado e pensa: “Será que ela não percebeu ainda que estamos separados há dez anos e eu não tenho nada a ver se o carro dela quebrou?” Mas o problema é que você tem a ver com isso. Porque ela usa o carro para levar os filhos que vocês tiveram, ou seja, seus filhos, à escola, à aula de inglês, à natação. E você e seus filhos são uma equipe para o resto da vida, mesmo que você esteja separado da mãe deles há dez anos. Ex-mulheres existem, mas ex-filhos não. Criar um time imbatível com o ex-cônjuge é fundamental para realizar um dos sonhos mais caros: ajudar os filhos a se tornar adultos felizes.

Será que você está trabalhando para fazer de sua família um time imbatível? Há quanto tempo não tem uma reunião com seu time de casa para que todos falem de suas necessidades e sonhos? Reunir toda a família e trocar idéias foram hábitos comuns antes da era da televisão. Hoje estão abandonados. E não me venha com essa história de não ter tempo. É só desligar a televisão durante seu programa favorito e chamar todo mundo para conversar (não para escutar seus sermões!). No começo, vai haver um monte de reclamações e cobranças. Talvez alguns achem pura perda de tempo. Mas depois todos vão entender as regras de funcionamento desse grupo, e a vida ficará mais fácil.

Outra equipe fundamental é o casal. Alguns casais vivem como se fossem adversários numa partida de tênis: jogam a bola longe para ficar bem difícil o outro pegar, complicam o jogo, vêem o cônjuge como um obstáculo a ser superado. Outros vivem como uma dupla de frescobol: jogam a bola pertinho, facilitam o jogo, vêem o parceiro como cúmplice. E você, facilita a vida de seu companheiro, como no frescobol, ou o vê como adversário numa partida de tênis?

Pense comigo.

Há quanto tempo você não faz um elogio a um colega numa reunião de gerência ou a seu filho num jantar em família, ou a sua esposa ?

 

 

PARA QUEM QUER CONTINUAR NO MERCADO

 

Não existe água mineral pura em um restaurante. Ela sempre está acompanhada do astral de quem a serve. Cada garrafa de água será diferente. E sabe quem faz a diferença? Você. Você vai decidir se esses clientes voltam ou não.

Logo depois, gosto de perguntar: “Quantos vendedores um restaurante deve ter?” A resposta é unânime: “Todos!”

“Todos quem?”

“Todos os funcionários.”

Eles estão começando a acertar. Todos — garçons, cozinheiros, caixas — precisam saber que estão vendendo algo. Mas a melhor resposta ainda não é essa.

Mais uma vez estimulo:

“Todos quem?”

Até um empreendedor gritar:

“Todos os clientes!”

Parabéns! E isso aí! Os melhores vendedores de um restaurante são seus clientes. Eles são a linha de frente da divulgação da qualidade do restaurante. Hoje em dia é muito caro fazer publicidade. Em geral, a verba só dá para divulgar na hora da inauguração. Mas, quando os clientes se sentem parte do time de um negócio, eles vão lutar para colocá-lo no pódio.

É lógico que não basta seduzir o cliente na hora. É preciso cativá-lo sempre, conseguir que ele seja fiel.

E por isso que o conceito de cliente está sendo substituído pelo de fã. O que é fã? E aquela pessoa que ama algo, luta por ele, defende-o até o fim.

O valor desse fã é incalculável. E ele que vai fazer seu negócio brilhar no céu dos campeões.

E por que alguém se torna fã de uma empresa? Porque ela o ajudou a se sentir feliz. Uma idéia só é boa quando deixa as pessoas felizes.

Os titulares do Cliente Futebol Clube se mantêm preparados para o jogo, estão comprometidos com os resultados e jogam nesse time pelo prazer de fazer parte de uma equipe que espalha a felicidade. Querem escutar do amigo: “Adorei o restaurante que você me indicou” . O que isso significa? Que ele tem bom gosto, que é inteligente, que suas opiniões são valiosas.

Pense bem. Todas as empresas vendem mais ou menos os mesmos produtos e os mesmos serviços. Os médicos receitam os mesmos remédios, os restaurantes oferecem a mesma picanha  ou o mesmo bife. O que faz o cliente decidir entre eles? Respondo num segundo: a capacidade de fazê-lo feliz.

Conheço médicos e dentistas que se preocupam em telefonar para os clientes no dia seguinte à consulta para saber como estão passando, se os remédios deram certo. Esses, com certeza, terão sempre clientes fiéis, porque é muito bom saber que o profissional se preocupa conosco.

Talvez você seja um psicólogo e seu consultório esteja vazio. Você, que é uma pessoa muito legal e conhece muito bem a teoria do atendimento psicológico, está sem clientes. O que será que está faltando? Que o cliente sinta cumplicidade entre vocês, perceba que você realmente se importa com ele. Isso fará brilhar os olhos dele ao falar de você com os outros.

 

Será que os olhos de seus clientes brilham

quando falam de você?

Será que os olhos de seus clientes brilham

quando saem de sua loja ?

 

O brilho do olhar é um sinal definitivo de que vocês estão jogando no mesmo time.

Mas o que é uma equipe de alta performance?

Explicando de maneira bem simples: é um grupo de pessoas integradas  capazes disposto a realizar as metas e estratégias de uma organização.

Não são simplesmente pessoas isoladas que fazem apenas a sua parte. São indivíduos competentes que sabem utilizar seus pontos fortes para suprir as fragilidades dos outros e usam as virtudes alheias para corrigir seus pontos vulneráveis. Eles nunca desperdiçam as oportunidades de se superar. Pessoas integradas conseguem fazer cada membro do time transcender sua capacidade individual.

Liderança compartilhada

 

Quanto mais dependente das decisões de um líder, mais vulnerável um grupo se torna.

Nas famílias em que os pais decidem tudo, os filhos se transformam em presas mais fáceis dos traficantes de drogas. Treinaram tanto a vida inteira para dizer sim aos pais que não sabem dizer não às drogas.

Quanto mais uma garota aprender a baixar a cabeça para os pais, mais

se submeterá a um casamento em que será humilhada.

Nas equipes de alta performance todas as pessoas se sentem responsáveis pelo êxito ou fracasso do projeto.

Não é preciso ninguém mandar para as coisas acontecerem. Não é preciso policiar porque as pessoas se esforçam para obter resultados, têm noção da importância de seu trabalho e não precisam ser cobradas para cumprir o que prometeram.

Alexandre conduzia seu exército de volta para casa depois da grande vitória contra Porus, na índia. A região que cruzavam naquele momento era árida e deserta, e os soldados sofriam terrivelmente com o calor, a fome e, mais que tudo, a sede. Os lábios rachavam e as gargantas ardiam devido à falta de água. Muitos estavam prestes a se deixar cair no chão e desistir.

Por volta do meio-dia, o exército encontrou um destacamento de viajantes gregos. Vinham montados em mulas e carregavam alguns recipientes com água. Um deles, vendo o rei quase sufocar de sede, encheu um elmo com água e o ofereceu a ele.

Alexandre pegou o elmo nas mãos  olhou em torno de si. Viu os rostos sofridos dos soldados, que ansiavam, tanto quanto ele, por algo refrescante.

“Obrigado, mas pode ficar com a água”, disse ele, “pois não tem sentido matar minha sede sozinho, e você não tem o suficiente para todos.”

Devolveu a água sem tomar uma gota. Os soldados, aclamando seu rei, puseram-se de pé e pediram que o líder continuasse a conduzi-los adiante.

Quando  uma empresa em que algumas pessoas centralizam todo o poder e inibem a iniciativa dos outros, geralmente não vai funcionar. Não é gostoso trabalhar de faz-de-conta com adultos. Melhor parar no início.

Numa empresa que se propõe a implantar um projeto de qualidade total, todos os participantes precisam considerar cada etapa do processo como algo que depende de seu comprometimento para o sucesso final.

Os acontecimentos do passado são muito bons para aprender com os erros e criar referências de nossas capacidades. Quando esquecemos o passado, corremos o risco de repetir os mesmos erros. Nossos ou dos outros. Na Segunda Guerra Mundial, Hitler levou seus exércitos para o desastre no inverno da Rússia, exatamente como Napoleão havia feito no início do século XIX. No Brasil da hiperinflação, o que apareceu de plano econômico baseado em congelamento de preços! Todo mundo queria reinventar a roda. Se for para errar, é melhor cometer um erro novo.

Mas viver de arrependimentos do passado ou orgulhar-se permanentemente do que já aconteceu também não funciona, leva à decadência. O passado deve ficar no passado. Um dos hábitos mais produtivos dos atletas de alta performance é esquecer um jogo, tenham ou não sido vitoriosos, no máximo doze horas após o apito final. Não se deve remoer o passado. Isso traz ressentimento. E o ressentimento dói e imobiliza.

Não devemos estimular a nostalgia nem a

valorização do passado: “No meu tempo…”,

“Antigamente…”.  O antigamente não existe

mais. É só uma lembrança.

Ganhamos? Ótimo! Perdemos? Vamos aprender com a derrota. Temos de olhar para a frente para nos preparar para a próxima partida.

Uma equipe imbatível pensa desta maneira: o resultado do último ano foi maravilhoso, mas pertence ao passado. O resultado do ano que passou foi um desastre, mas ficou para trás.

Quanto mais uma equipe ficar centrada no passado, mais vai se torturar, gerar ressentimentos e culpas. Durante quantos anos inúteis nosso país ficou chorando a perda da Copa de 1950 para o Uruguai? Em 1958, na Suécia, a geração de Pelé e Garrincha nem queria saber da Copa de 1950, se Barbosa fora ou não culpado pelo gol de Ghiggia. Eles queriam trazer o primeiro título mundial para o Brasil e batalharam para nos dar esse presente.

A equipe de alta performance trabalha no presente com os olhos no futuro. Sempre quer mais. Quando atinge a meta, se impõe nova meta, maior que a anterior, e por isso segue crescendo. Seu alimento predileto é realizar sonhos. Cria-os e realiza-os.

Sonho número 1: ser líder de mercado.

Sonho número 2: aumentar a diferença em relação ao segundo concorrente.

Sonho número 3: manter a liderança.

Sonho número 4: aumentar a margem de lucro.

A referência é sempre a montanha seguinte. Os alpinistas dizem que a montanha que importa é a próxima. A que já foi escalada não tem mais poder de fascínio.

Sucesso é quando o resultado do presente é melhor que o do passado.

Ascensão é quando o resultado do futuro for melhor que o do presente.

Decadência é quando o resultado do passado é melhor que o do presente.

 

PAIS QUE CEDEM ALEM DO NORMAL ATRAPALHAM OS FILHOS

Os pais devem sempre ter em mente a influência de seus atos no futuro dos filhos. Às vezes é mais fácil deixar a filha fazer sempre o que quer. No entanto, para o futuro dessa criança, será produtivo que ela sempre consiga algo porque chora muito?

 Será que receberá uma promoção porque está chorando pelo cargo? Mais fácil ser demitida. Ser pai é preparar os filhos para enfrentar desafios. As dificuldades vão aparecer, mas somente se tornarão problemas quando encontrarem a pessoa despreparada.

Certo, os colegas. Drogas, em nossa sociedade, já não são mais distribuídas pelos traficantes que vemos nas favelas, e sim pelos colegas de escola ou em festas. Por isso é importante que você se torne amigo do seu filho antes que um traficante o faça.

Ajudar os filhos a desenvolver valores que vão acompanhá-los por toda a vida. Principalmente, significa ajudá-los a encontrar o próprio caminho.

A música nos mostra grandes exemplos da importância dos times. O que aconteceu com a carreira dos Beatles depois que se separaram? Eles foram muito maiores do que Paul, John, George e Ringo isoladamente. O que houve com os discos individuais dos integrantes dos Rolling Stones? Nada. Individualmente, eles não conseguiram a mesma força, apesar da competência dos músicos que escolheram para trabalhar nesses projetos.

 

 

Os hábitos do time de alta performance

“Líderes se desenvolvem, não são fabricados.”

Charles Handy

 

O hábito de agradecer

              Enquanto o sábio agradece, o pobre de espírito reclama…

Para ser feliz, você não precisa de grandes conquistas materiais. Já tem o pôr-do-sol, as estrelas, os pássaros, o sorriso dos amigos, seus irmãos. Agradeça a Deus, pois você tem sua vida, o dia que está começando, sua força e determinação. Com todos esses presentes da vida, o resto você constrói

Numa equipe integrada, as pessoas agradecem aos companheiros. Agradecem não só individualmente mas também — e principalmente — na frente dos demais. A gratidão gera um clima em que todos se sentem importantes para o resultado do grupo.

Agradeça: uma ajuda, um toque, uma orientação oportuna, uma crítica pertinente.

Agradeça: o esforço de varar a noite para entregar um projeto, o de chegar mais cedo numa emergência, o de ficar uma semana sem almoço para substituir um colega doente.

Agradeça: uma boa idéia, uma presença positiva e cooperativa.

O agradecimento faz o outro se sentir importante e cria a consciência de pertencer a um grupo.

Muita gente acha que os elogios estragam a pessoa. Essa é uma ilusão que leva ao individualismo e à solidão. O elogio ajuda o outro a se sentir admirado.

Na equipe de alta performance não há lugar para picuinhas.

Elogiar é aplaudir. Os orientais dizem que, no aplauso, um é a mão direita e o outro é a mão esquerda. Aplaudir alguém é como abraçá-lo. O som das palmas é o som do encontro. Significa que um no palco e outro na platéia se abraçam, numa homenagem à capacidade  à competência.

Quando você elogia, está aplaudindo. Está dizendo que encontrou no outro sua própria competência e capacidade.

O elogio muda totalmente a forma de as pessoas enxergarem o processo de aprendizado. Na educação, ao contrário do que sempre se pensou — que a única maneira de ajudar o aluno era criticá-lo —, viver censurando faz com que as pessoas vejam apenas o que falta, e não o que conseguiram obter.

O único caminho para a realização pessoal passa pela criação de vínculos com as pessoas que amamos e admiramos.

Comentam como é gostoso trabalhar num lugar onde todos lutam por suas metas e são amigos.

As árvores mais altas têm as raízes mais profundas.

Detesto quando chego a uma cidade e alguém vem me falar mal dela. Na verdade, essa pessoa não está me mostrando os problemas de sua cidade. Está me dizendo que é alguém em quem não se pode confiar. Gosto das pessoas que têm orgulho do lugar onde moram, que têm gratidão pelo que recebem e que lhes permite alimentar a família, educar os filhos e realizar seus sonhos.

Pode-se escolher um ou dois hábitos para treinar em conjunto. Convide seu pessoal uma vez por mês para compartilhar aquilo que todos fizeram juntos, para agradecimentos e elogios mútuos, para expressar o orgulho de estar no time e na empresa. Isso pode ser feito meia hora antes ou depois do expediente. No começo pode parecer estranho, mas aos poucos irá sendo incorporado ao jeito de o grupo funcionar, e os resultados aparecerão. Esse ritual revigora as forças de um time de alta performance.

Se por acaso sua equipe ainda não chegou lá, tenha uma certeza: a implantação desses hábitos começará a abrir caminhos.

 

DEIXEM OS FILHOS CRECEREM

Os pais querem descobrir uma maneira de formar filhos mais autônomos. Percebem que criar filhos dependentes é um erro grosseiro. Primeiro porque se sentem sobrecarregados com a pressão do trabalho e segundo porque querem formar pessoas bem-sucedidas, capazes de decidir sobre a própria vida. Os pais percebem que, nas empresas, os profissionais submissos cada vez mais cedem seus postos a outros com mais iniciativa.

O fenômeno chama-se simbiose primária e se prolonga até os 2 anos de idade do bebê aproximadamente. A partir daí, a criança inicia um intenso aprendizado e começa a conquistar independência. Muitas vezes, no entanto, a mãe continua a tratá-la como um bebezinho de colo — cuidar exageradamente de um filho que já está em condições de começar a pensar por si próprio. Age assim para se sentir útil. Não consegue abrir mão do instinto materno, mesmo em prol do seu crescimento pessoal e da autonomia da criança. Não percebe que amar é ter a generosidade de deixar a larva lutar e se transformar em borboleta. Essa mãe não se dá conta de que o filho precisa desenvolver as próprias asas para ter vida própria.

Se o pai entra nesse jogo de superproteger o filho, a situação piora. Então são dois querendo mostrar à criança como têm prontas todas as soluções para a sua vida. O filho acaba não descobrindo que ele mesmo é capaz de satisfazer suas necessidades. Entende que quando quer alguma coisa é mais fácil chorar em vez de lutar por ela, pois os pais vão saciá-lo imediatamente. É o início da vida de um adulto infantilizado e irresponsável.

“Chefe, sabe, temos um problema!”

“Que problema?”

“Aquele relatório que fiquei de entregar hoje não está pronto… Não tive tempo. Será que você pode terminá-lo para mim?”

É o tipo de funcionário que não ajuda o chefe a confiar nele.

Manipulação é a maneira mais acabada de matar um relacionamento.

 

Relacionar-se é conseqüência da maneira

de ser. Transformar o mundo sempre

começa por transformar a si próprio.

 

Os dependentes dominadores

São pessoas de sucesso no trabalho, mas que procuram centralizar tudo. Querem ter poder total para controlar. Não abrem mão do domínio e do poder do cargo. Vivem sobrecarregadas e, portanto, acabam estafadas.

Hoje em dia, esse é o grande desastre dos executivos e dos empresários de sucesso: eles arrebentam sua qualidade de vida, sem perceber que isso é conseqüência da vontade de mandar sempre e de se cercar de pessoas que eternamente obedecem.

Há também os dominadores que hoje já não ocupam altos cargos. Eram empresários que faliram ou executivos que ficaram desempregados. Centralizavam tanto as decisões que tornaram a empresa lenta — tudo tinha de passar por suas mãos. Queriam tanto conferir cada detalhe do trabalho e se envolver em cada mínimo acontecimento que criaram empresas com pessoas sem iniciativa. E acabaram indo para o fundo do poço.

No enterro desses políticos, as pessoas não choram sua partida, mas o fim dos benefícios que recebiam.

Aprender a respeitar as decisões do outro.

 

O dominador precisa aprender a respeitar as decisões alheias. Deve perceber que o crescimento de alguém não significa uma ameaça direta nem um ato de desamor. O outro simplesmente está fazendo o que gosta, quer cuidar de sua vida, e não magoar.

O marido que deseja controlar a vida da esposa precisa entender que ela sente vontade de trabalhar fora apenas porque acha importante ganhar seu dinheiro, e não porque não o ama.

O pai cuja filha diz que resolveu parar de trabalhar com ele deve entender que sua filha quer ter agora o prazer de ela mesma concretizar seus sonhos.

Quando você respeita o caminho que seus filhos escolheram deixa de ser responsável pelo sucesso ou não deles e pode aproveitar muito mais a amizade existente entre vocês.

O pai controlador ao infinito acaba criando no filho o prazer de enganá-lo. Quando você estimula um clima de confiança, as pessoas se libertam do medo de ser cobradas e se tornam mais próximas.

Quando os pais começam a escutar os filhos, descobrem que têm muito mais consciência do que imaginavam. Eles vão errar e acertar como qualquer um de nós, aprender com os erros e desfrutar os acertos.

Na empresa, à medida que você deixa de controlar tudo, vai sobrando mais tempo para curtir a vida e tomar decisões que levarão sua carreira adiante. Invista tempo na ajuda a sua equipe, para que ela cresça e tenha maior autonomia.

Confie no outro. No início dá medo ficar sozinho, mas depois você vai descobrir que é muito mais amado do que imagina.

 

Conquistar o que o coração precisa

 

A publicidade cria muitos objetos de desejo que não têm a mínima importância para a felicidade. Infelizmente, muita gente desperdiça energia apenas para ser vista como uma pessoa de sucesso, deixando de valorizar aquilo que tem real importância em sua vida.

O próximo passo é aprender a conquistar o que você precisa, e não o que quer. A maioria das pessoas estabelece metas nascidas da voracidade pelo poder, e não da alma, do coração. Quando não trabalhamos pelo que queremos, acabamos desejando coisas que não fazem sentido para nós. Quando aprendemos a entrar em contato com nosso coração, passamos a ser capazes de experimentar a felicidade e não corremos atrás de sonhos sem significado.

O prazer de viver nasce da maneira como você curte os pequenos acontecimentos. E estar atento a detalhes que trazem a felicidade. É saber saborear o sorriso do filho, da mulher, do marido, é a brincadeira com o cachorro, é contemplar o pôr-do-sol. Nesses momentos, as prioridades passam a ser os desejos que nascem do coração.

Se você está se conscientizando da importância de ouvir a alma para definir suas prioridades, isso é sinal de que sua vida está entrando no rumo certo.

Não transfir a culpa

O dependente culpador também pode ser fruto de uma família pobre que desenvolveu a cultura das desculpas. São pais que sempre dizem que a culpa de ser pobres é do governo ou dos empresários, que eles nunca deram certo porque não tiveram oportunidade de estudar, de crescer. Os pais colocam-se como vítimas e ensinam os filhos a ser vítimas. O resultado é que estes perdem a força de lutar. Quando os pais levam as crianças a acreditar que a sociedade é injusta, ingrata e não valoriza as pessoas, também as estão convidando a sentir-se vítimas do destino.

Faça a sua parte

Bom é o prazer de receber o fruto do próprio trabalho, é ter criado sua vitória pessoal.

Quantas mulheres vivem à sombra do ex-marido sem se dar conta de que têm capacidade de administrar sua vida? Em vez de lutar pelo sucesso, vivem brigando pelo aumento da pensão. Energia colocada fora de foco.

Quantos empresários e grandes agricultores vão todos os meses a Brasília cobrar do governo sua mesada? Tratam o governo como o pai que deveria garantir-lhes a sobrevivência. Acusam-no de responsável por seus problemas. Governo não é pai de gente grande. Em vez de gastar energia para pressionar o pai, muito mais produtivo seria administrar bem o negócio.

O primeiro passo para a autonomia é começar a viver de acordo com seus rendimentos, trabalhar para ganhar o próprio dinheiro e viver com esse dinheiro. Só assim você aprende a cuidar de si próprio e a ter prazer com as vitórias. Ainda que a princípio elas sejam pequenas, são suas vitórias.

É enfrentando as dificuldades que você fica forte. É superando seus limites que você cresce. É resolvendo problemas que você desenvolve a maturidade. E desafiando os perigos que você descobre a coragem. Arrisque e descobrirá como as pessoas crescem quando exigem mais de si próprias.

 

Ser responsável pela própria vida

 

Ser responsável pela própria vida é, principalmente, ser responsável pelos resultados: parar de acusar os outros, de reclamar, de dar desculpas.

Corte as desculpas. Quanto mais utilizamos desculpas para nossos fracassos, mais elas roubam a energia que temos para transformar nossa vida.

Pare de acusar seus pais. Eles deram a você o que acharam ser o melhor. Você cresceu: dê agora a você o que acha que precisa.

Uma vez um amigo me disse: “Neste país só tem sucesso quem é corrupto!”

Fiquei bravo com ele e lhe perguntei se estava afirmando que seu pai era corrupto, que seus irmãos eram corruptos…

Lembre-se: você sempre está colhendo os resultados que plantou. Não anda dando certo? Pois mude! Vá atrás do resultado que você quer. Verá que delícia é viver das próprias vitórias.

 

Aprender a trabalhar por seu sonho

 

Todo sonho tem um preço. E um dos segredos do sucesso é estar disposto a pagar esse preço. Pague à vista. Você ficará mais tranqüilo para realizá-lo.

Para alcançar vitórias, é fundamental o esportista acordar cedo todos os dias, fazer uma montanha de exercícios, controlar a alimentação, abrir mão de muitas festas, dispensar bebidas alcoólicas, concentrar-se para a competição.

É preciso acabar com a fantasia de que as vitórias caem do céu!

Os Beatles, no início, tinham mais um músico. Chamava-se Stu e queria deixar o grupo. John Lennon teve uma última conversa com ele, procurando fazê-lo desistir da idéia: “Stu, fique. Seremos o maior grupo do mundo!” Em vão. Ele estava decidido a sair.

Pague o preço do seu sonho. Ninguém pode fazer isso por você. Veja claramente quais são seus sonhos e seja ousado. Lute por eles.

Lute, mesmo sabendo que por vezes a luta não trará o resultado esperado. O treino para lutar, porém, gerará força para a próxima vitória.

 

Dar continuidade

 

Os culpadores estão sempre começando algo: uma nova empresa, um novo projeto, um novo curso, uma nova especialização. Quando os problemas aparecem, contudo, não dão continuidade aos projetos. No começo, tudo flui: a empresa, o inglês, a dieta. Depois, quando é preciso enfrentar uma transformação interna para continuar crescendo, o culpador desiste. Ele até tem iniciativa, começa alguma coisa, mas não consegue levá-la adiante.

Quando você o encontra, está invariavelmente comemorando algo novo: a faculdade, o amor, o curso de inglês.

 

PERSISTÊNCIA A MAIOR VITÔRIA

Walt Disney, criador da Disneylândia, pediu financiamento a cerca de setenta bancos para seu projeto. Um após outro, todos iam recusando o empréstimo. Nenhum gerente de banco apostava num parque de diversões que cobrasse ingresso único. Imagine se Disney fosse de desistir facilmente! Nunca teria obtido o empréstimo. Ou talvez esquecesse depois do décimo “não”, ou do vigésimo. Mas ele acreditou e continuou. Quando conseguiu o dinheiro, construiu uma das maiores fortunas do nosso tempo.

Nelson Mandela permaneceu preso durante 27 anos em virtude de suas crenças políticas. Por vinte anos ficou em uma solitária. A esse respeito, o filósofo Mario Correia costuma comentar em suas palestras: “Imagine se depois de cinco anos alguém não chegou para ele e disse:

— Nelson, cinco anos e você aqui… Deixe de bobagem, assine este documento reconhecendo sua culpa e você será imediatamente libertado.

E Mandela, acreditando em sua missão de tornar a África do Sul uma nação única, mantinha-se irredutível.

— Mandela, quinze anos… Você aqui preso e a vida correndo lá fora… Deixe de ser bobo. Reconheça que você mudou e assine aqui.

E Mandela firme em suas convicções.

— Nelson, 25 anos, um quarto de século! Assine este documento e vá viver sua vida.

E Mandela aferrava-se à sua crença de que negros e brancos podiam viver como um só povo.

Até que ele conquistou a liberdade. Não apenas para sair da prisão mas para se transformar no presidente da África do Sul e liderar o trabalho de unificação do seu povo.”.

Pergunte às pessoas que você admira se obtiveram sucesso no primeiro projeto. Poucas responderão que sim. Pergunte a elas se já enfrentaram grandes crises. Quase todas responderão afirmativamente. O único remédio para essas situações é perseverar.

A maioria dos obesos acredita em fórmulas mágicas e em dietas milagrosas. Mas o método que funciona de verdade é a reeducação alimentar, acompanhada de exercícios. Coisa de disciplina e perseverança.

Todo mundo quer aprender inglês em cursos de algumas semanas. Passar um mês na Austrália e voltar falando fluentemente. Doce ilusão!

Tudo o que é importante para nós deve ter continuidade. No começo qualquer aprendizado é excitante, depois vem a etapa em que parece que não estamos evoluindo nada. Finalmente, incorporamos o aprendizado. Pode até demorar para a vitória chegar, mas vale a pena!

 

Os individualistas

 

No trabalho, os individualistas desempenham bem tarefas que só dependem deles. São ótimos cientistas, pesquisadores, criadores, analistas, planejadores. Os problemas surgem quando têm de lidar com pessoas.

Quando recebem uma equipe para coordenar, começam a se sentir perdidos porque não sabem como lidar com outro ser humano. Esperam que as pessoas simplesmente façam o que deveriam fazer, pois esse é o dever delas. No final, acabam obtendo resultados fracos.

Os individualistas têm hábitos solitários: gostam de ler, de passar horas na Internet, vão ao cinema sozinhos, adoram as profissões em que precisam viajar e ficar muito tempo isolados.

Seu erro existencial é querer acostumar-se à solidão. Durante toda a vida, faz um esforço enorme para manter os outros a distância. E procura adaptar-se a esse estilo de vida, pois tem medo de depender das pessoas. Acredita que, se depender delas, será abandonada no momento em que precisar.

Precisam de muita humildade para iniciar, aos 40 anos, um aprendizado que a maioria das pessoas tem na adolescência. Nesse momento, o individualista enfrenta o grande desafio de sua vida: aprender a amar e a se deixar amar.

 

Resgatar os sentimentos

 

O primeiro passo para mudar é ser capaz de se emocionar com as pequenas coisas do dia-a-dia: com o cartão-postal que um amigo mandou, com a saudade que sente dele, com a palavra carinhosa do colega que trabalha ao lado. Aos poucos, o individualista começa a resgatar suas emoções. Em meio a esse processo, passa a ser uma pessoa muito crítica, dura, pois sente medo de perder o controle sobre sua vida e de começar a necessitar dos outros.

É comum o individualista esconder toda a dor da infância debaixo da agressividade. Sua máscara de força, no entanto, impede que alguém penetre em sua vida para ajudá-lo a cuidar das antigas feridas.

Quando começa a chorar, vem o alívio por liberar seus sentimentos, mas vem também a vergonha de se mostrar frágil aos amigos. Essa ambivalência persiste até que ele descubra a grandeza de se revelar por inteiro a alguém.

Para que prossiga em seu caminho de transformação, é importante que as pessoas próximas lhe transmitam amizade e confiança

Quando se derreter o gelo que envolve seu coração, ele descobrira que ainda e capaz de se emocionar com os pequenos acontecimentos que alimentam a alma.

 

 

Vincular-se

 

O segundo ponto importante na transformação do individualista é começar a vincular-se aos outros. Telefonar para as pessoas para contar as novidades, convidá-las a ir até sua casa. Estabelecer elos, enfim, e compartilhar a vida é um ótimo passo.

Quando se aprende a curtir o prazer da amizade, de um grande amor, de um grupo de companheiros da empresa, a percepção da vida muda totalmente.

Como o individualista tem em mente apenas o padrão complicado de família que viveu na infância, é importante para ele criar outras referências. Ir a um parque e constatar que existem famílias felizes que se curtem, olhar casais de idosos namorando ou pais brincando com os filhos é uma forma de fazer isso.

Depois de observar por algumas vezes pessoas como essas, a mente do individualista começa a aceitar novas referências. Elas mudarão sua idéia de que pessoas só trazem problemas — afinal, são exatamente as pessoas que criam a felicidade plena.

Um significativo sinal de mudança do individualista é passar a convidar as pessoas para visitar sua casa, conhecer sua família. Abrir a porta de casa sinaliza que o coração está se abrindo. A muralha do castelo foi destruída.

 

 

Aprender a pedir desculpas

 

Quando os individualistas começam a se vincular, ainda não aprenderam a respeitar os sentimentos alheios, por isso é natural que machuquem um pouco os outros. Em geral, nem percebem que magoaram. Quando percebem, acreditam que a culpa foi do outro, e não deles.

Assim, é preciso que limpem o lixo emocional que lançaram sobre o outro, aprendendo a pedir desculpas.

Pedir desculpas não é suficiente, pois a dor já foi causada. Entretanto, é aí que se inicia o respeito pelo sentimento alheio.

Leia esta história enviada pela Internet:

Quando o menino mais uma vez brigou com seu irmão, o pai procurou-o e lhe disse:

“Aqui estão um martelo e uma caixa de pregos. Cada vez que estourar com alguém, quero que ponha um prego em uma das madeiras da cerca até conseguir ficar um dia sem  estourar com ninguém”.

O menino assim fez. Cada vez que explodia com alguém, ia até a cerca e lá martelava um prego, até que conseguiu ficar um dia sem explodir. O pai, então, pediu que ele se controlasse durante uma semana, e o menino trabalhou com disciplina e atenção até conseguir a façanha.

“Vá até a cerca, retire os pregos e me diga como ficou a madeira”, solicitou o pai.

O menino fez isso e voltou chateado:

“Pai, a madeira ficou toda esburacada!”

O pai então explicou:

“Se enterrar um punhal no coração de uma pessoa, mesmo que o retire e peça desculpas, o buraco vai sempre estar lá. A dor que você provocou ficará para sempre no coração de quem você machucou”.

Pedir desculpas, claro, é o primeiro passo, mas é apenas o começo da caminhada rumo ao aprendizado do respeito ao outro. O ideal e ter consciência dos efeitos da situação antes mesmo de praticá-la, para poder então decidir se ela é positiva ou não.

 

Abandonar o castelo

Vínculos são relacionamentos profundos, é preciso começar aos poucos. Uma idéia é partir da ampliação do contato com as pessoas.

Muitas mulheres ainda afirmam que há poucos homens disponíveis. Mas, se elas ficam trancadas em casa, dificilmente encontrarão alguém interessante. É hora de sair de casa e conhecer pessoas novas. No início, tudo pode parecer sem graça, pois o medo do novo sempre atrapalha o prazer do conhecimento. Além do mais, existe a rotina: você já se acostumou com o seu apartamento, com a sua televisão, com o seu computador, com a sua solidão…

É preciso ter a humildade de convidar um colega de trabalho para ir a um show, aceitar o convite para uma festa que não parece muito interessante, arejar a mente e começar a conversar. Nada como aprender a falar “abobrinhas”, dar risada sem censura, contar uma história ou uma anedota. Até que estar com pessoas novas se torne algo simples.

E fundamental começar a participar de associações, das festas da família, a sair com amigos, ir a uma academia, criar situações em que exista a oportunidade de conhecer gente nova.

O individualista coloca uma grande barreira de proteção em torno do seu espaço, e abrir a vida para entrar em contato com pessoas diferentes é uma forma de diminuir esse espaço protetor — é permitir que os outros participem de sua intimidade.

 

Entender de gente

“O verdadeiro valor de um homem não

pode ser encontrado nele mesmo, mas nas

cores

e texturas que faz surgir nos outros.” Albert Schweitzer

 

 

Agora que você conhece os caminhos de libertação dos mecanismos que tornam as pessoas dependentes, vamos conversar sobre o outro.

Como podemos tocar de verdade o coração das pessoas?

O filósofo francês Jean-Paul Sartre disse: “O inferno são os outros”. Na verdade, o outro é a porta do nosso inferno ou do nosso paraíso. Ele não nos conduz a nenhum lugar, simplesmente nos revela nossa capacidade de amar. Ninguém pode fazer você se sentir bem ou mal. As pessoas apenas mostram o que existe dentro de você.

Por isso o mesmo evento desperta reações tão diferentes nas pessoas. Para um jogador, uma final de campeonato é a oportunidade de mostrar todo o seu potencial. Para outro, é um pesadelo tão grande que desmaia de nervosismo.

Quem não conhece a alma do outro será vítima de mal-entendidos. Como não conhece de verdade quem lhe está bem próximo, procura fazer o que gostaria que fizessem a ele. E o outro se sente desrespeitado.

São pais que, por se preocupar com os filhos, querem intrometer-se em suas decisões e no fim se vêem rejeitados.

Chefes que solicitam projetos e acabam recebendo um trabalho que nada tem a ver com o que pediram.

Maridos que presenteiam as esposas com CDs de que eles próprios gostam.

Pessoas que falam B e as outras entendem A.

A ignorância faz com que o amor se torne uma arma perigosa.

Quem conhece o outro sabe de seus anseios, respeita seu jeito de pensar e de agir e tem a sensibilidade de falar de modo a tocar seu coração.

, você pode falar sobre qualquer assunto com qualquer pessoa desde que encontre a maneira certa, o momento certo e o local certo”.

Tocar a alma de alguém só é possível quando conhecemos profundamente o outro.

Olhar para o próximo, OUVIR, SENTIR.

 

O outro, o próximo, a pessoa que divide a vida com você é a porta da sua felicidade. Saber tocar o coração do outro é a única forma de verdadeiramente entrar no paraíso.

Quantos sonhos são desperdiçados porque as pessoas não conseguem se comunicar, se entender, se ouvir, se olhar? É impressionante o número de empresários e executivos que têm funcionários e colaboradores maravilhosos, mas não atingem suas metas porque não dizem as palavras que a equipe precisava ouvir e não conhecem suas idéias e motivações.

Quantos técnicos esportivos com times sensacionais deixam de alcançar a vitória? E quantos, com equipes limitadas, fazem o time sintonizar, se valorizar, se inspirar e conseguem milagres?

Às vezes, o mais triste é ver pais que amam muito os filhos e não podem ajudá-los a se transformar em adultos seguros de si. É desolador notar como casais apaixonados convertem o amor em um relacionamento destrutivo. Começam um namoro bonito e, um ano depois, estão enredados numa relação que se transformou em fonte de neurose, angústia e insegurança.

A empresa, por vezes, para valorizar o funcionário, oferece-lhe uma viagem ao exterior. Mas ele não sabe falar inglês, não gosta de viajar, tem medo de avião, e aquele presente se transforma num inferno. Se alguém tivesse conversado com ele, talvez tivesse descoberto que ficaria mais feliz com uma semana de férias ao lado da família. Essa recompensa, então, seria vista como um ato de amor.

Provavelmente o maior desafio do mundo atual é o relacionamento interpessoal. Agora só se fala em Internet, no mundo das vendas e dos negócios pela rede mundial. Nós nos esquecemos, no entanto, de que do outro lado, na frente do computador, existe um ser humano com sentimentos, motivações, inseguranças e fantasias. Esse mundo virtual exige que entendamos muito mais de pessoas.

Mesmo que não encaremos os clientes, mesmo que  não entrem fisicamente em nossa loja para comprar um livro, um CD ou algumas roupas, continuam a nos cobrar como se estivessem de corpo e alma em nossa frente. Quando falamos em tecnologia, devemos entender que isso, cada vez mais, nos põe em contato com as pessoas, ainda que elas estejam sentadas do outro lado do computador.

 

 

Fugir do outro não funciona

 

Quando a vida de alguém não vai bem, sua tendência é isolar-se para evitar o sofrimento.

Quando o chefe não consegue fazer a equipe envolver-se com o projeto, sua tendência será se sobrecarregar, levar um monte de tarefas para casa, continuar trabalhando até uma hora da manhã e acordar às quatro para terminar o que faltou. A princípio os resultados melhoram, mas, aos poucos, seu rendimento começa a cair em razão do cansaço.

Quando o pai percebe que o diálogo com o filho não está funcionando, sua tendência é se distanciar dele, abatido pelo desânimo. Logo após essa decisão, pode sentir alívio por não ver que o garoto não estuda ou usa drogas. Mas até quando será capaz de sustentar essa situação? O amor pelo filho vai matá-lo de saudade e depois de culpa por saber que não está ajudando um ser tão amado. O pior é que, passados seis ou sete meses, o problema se agravará.

Muitos sofrem com seu relacionamento amoroso. Depois de algumas decepções, tendem a se isolar e a adotar uma postura cética em relação ao amor. Preferem ficar em casa no sábado à noite, assistindo a um filme. Passam todos os fins de semana sozinhos. Nunca aceitam o convite de um colega para sair. No início, sentem-se aliviados, pois acham melhor evitar problemas do que sair em busca do amor. Mas, depois de algum tempo, a solidão começa a apertar o coração.

Desistir de amar e ficar só é uma viagem que dificilmente dá certo. Anos mais tarde, a pessoa reconhece que a solidão está criando um indivíduo amargurado, ressentido, que só sabe criticar os outros e ver defeitos em todo mundo. Alguém cuja alma se encolhe por não receber carinho.

A energia do amor é que nos leva à evolução.

 

O MELHOR É ELOGIAR

Quando o pai frio e critico diz ao filho que foi mal na escola “eu me mato de trabalhar e você tira essas notas ridículas, seu burro!”, está apertando o botão que desliga a motivação do filho.

O pai que, pelo contrário, consegue tocar o coração do filho diz algo como: “Filho, você é um campeão. Não tem lógica nenhuma tirar essas notas. Vamos ver o que está acontecendo. Quero ver você brilhar”.

Esse pai está ligando o botão que estimula a motivação do garoto.

Os donos do futuro são aqueles que apertam o botão que liga as pessoas a seus sonhos. Cada momento pede um jeito de apertar. Às vezes, o toque deve ser firme para acordar, para lembrar a pessoa de seu potencial. Outras vezes deve ser doce para despertar sua sensibilidade e fazer com que olhe o dia ensolarado lá fora e saia para viver a vida.

Há momentos em que o botão precisa ser pressionado com delicadeza: “Vamos conversar, sei que você deve estar passando por algum problema”.

Há ocasiões em que falar com muita sensibilidade desliga o coração do outro. Como o pai que diz ao filho relaxado nos estudos: “Tudo bem, eu te amo do jeito que você é…”

O pai pressionou o botão do amor incondicional, quando o filho precisava de um estímulo para mudar.

 

PALAVRAS TEM FORÇA

A maior parte das escolas de Medicina ensina como funcionam o coração, o estômago, o que são cardiopatias, gastrites. Mas não fala sobre o ser humano nem sobre a maneira de tocar seu coração. Não mostra aos médicos, por exemplo, como fazer o paciente acreditar em suas palavras e seguir sua orientação para se recuperar.

O médico que conseguir transcender a cultura de informações técnicas adquirida na faculdade e tocar o coração do paciente fará milagres.

O engenheiro que sensibilizar sua equipe vai parar de lembrar os regulamentos da empresa porque todos terão prazer em realizar sua vocação. Ele tocará a alma das pessoas fazendo-as sentir-se importantes e criando um verdadeiro clima de participação.

Sem a compreensão da alma humana, todo conhecimento perde a força de transformação.

Para ser amigo de seu filho, é muito melhor ouvir do que falar.

Para ajudar seu funcionário a aprender, e melhor perguntar do que ensinar.

As pessoas são muito especiais. Embora cada uma tenha a sua história e os seus sonhos, existem pontos em comum que podem servir de referência para essa maravilhosa caminhada em direção à alma do outro.

Essas idéias sobre o próximo são somente placas indicativas do caminho. São simples orientações, não a caminhada. Você terá de explorar o percurso, desvendar os mistérios, descobrir que as pessoas são únicas e que, com cada uma, deve ter uma sensibilidade diferente.

Venha, vamos juntos por essa estrada na descoberta das pessoas…

          O imediatismo do mundo moderno transformou a vida numa corrida de cem metros rasos sem barreira.

O ser humano precisa de tempo para absorver novas informações e elaborá-las, para então mudar sua maneira de ver as coisas

O ser humano parece um bambu que há na China: durante os primeiros vinte anos, ele cresce alguns poucos centímetros para, nos dois anos seguintes, atingir mais de vinte metros.

 

AJUDE OS FILHOS E NÃO OS ATRAPALHE

         Existe um provérbio judaico que diz: “Dê aos filhos raízes, mais tarde asas”. Nada mais certo. Cuidar exageradamente daqueles que amamos cria pessoas sem forças para realizar seus projetos.

Você quer ajudar seus filhos? Pare de ajudar.

Resolver os problemas no lugar deles é tirar sua oportunidade de aprendizagem e de crescimento. Os problemas que precisamos enfrentar são, na verdade, aulas que pedimos à vida para poder evoluir.

Por que nossos filhos não são guerreiros como nós fomos? Por que nós, que começamos de baixo, trabalhamos e conquistamos uma situação melhor, estamos criando sem vontade?”.

“O grande problema”, é que sofremos tanto que queremos agora poupar nossos filhos dos problemas que tivemos. Queremos tanto ajudar os filhos que tiramos deles a chance de crescer e aprender. Estamos anestesiando a confiança deles, pois a auto-estima se cria com vitórias.”

A força interior se desenvolve com a superação de desafios e dificuldades. O que eles sabem de vitórias? Pensam que o dinheiro cai do céu! Parecem a criança que, quando o pai diz que não tem dinheiro para comprar um brinquedo, retruca, com ar esperto: “Então me dá um cheque…”

Não adianta aninhar os filhos, porque a vida não vai aninhá-los.

No clube, o técnico do time de seu filho não está interessado em saber se o pai dele é rico. Vai escalar quem achar que é o melhor, e pronto.

Na escola de balé, a professora não vai oferecer o papel principal à sua filha só para não magoá-la. Selecionará a aluna que dança melhor — que, inclusive, pode ser sua filha.

Se você pedir à diretoria para privilegiar seu menino ou sua menina, não será um bom pai ou uma boa mãe. Impedirá seu filho de aprender a lidar com situações em que o  preferido  precisa se esforçar para conquistar um lugar.

Os pais não devem resolver os problemas para os filhos, e sim auxiliá-los a desenvolver o potencial para enfrentar os momentos desfavoráveis. E necessário sempre orientá-los e apoiá-los para que aprendam a confiar em si próprios, mas com a consciência de que, se for importante para eles patinar para se desenvolver, que patinem.

Se não ajudarem os filhos a cultivar a autonomia na infância, os pais não poderão esperar que eles mudem de atitude e comportamento quando forem adultos.

As pessoas só crescem se aprendem a conquistar o que desejam, e não se ganham de presente o que querem. Lutando para conseguir o que desejam, saberão mergulhar num processo de mudança quando os resultados se mostrarem fracos. Melhor: terão plena consciência disso. Saberão agir da maneira adequada tanto interna quanto externamente.

Enfrentar a dor do aprendizado é o primeiro passo para o relacionamento verdadeiro. Quando a toda hora os pais interferem nos acontecimentos e solucionam problemas para os filhos, estes não assumem as conseqüências de seus atos. Todas as atitudes provocam uma conseqüência, e é ela que nos orienta a respeito de que comportamentos manter e quais eliminar.

Isso normalmente se aprende na infância, quando os pais deixam o filho se relacionar livremente com as demais crianças. Por incrível que pareça, a maioria dos pais constata, com tristeza, que o filho que tanto paparicaram é que apresenta maiores dificuldades na vida adulta.

Amar não é mimar.

Os relacionamentos construtivos ocorrem apenas com pessoas autônomas. Viver a dois é um presente para quem sabe voar com as próprias asas. Quando alguém não tem asas para voar, o outro pode carregá-lo por algum tempo. Mas, um dia, estará exausto, e os dois desistirão de voar. Abandonarão os céus, as paisagens, os sonhos.

Uma sociedade empresarial é maravilhosa quando duas pessoas competentes juntam forças em busca de objetivos comuns, conservando, porém, a autonomia. Um casamento é perfeito se cada cônjuge se mostra capaz de administrar sua vida e seus sonhos na mesma direção, vivendo o prazer da união e crescendo por igual.

Será que ficou claro?

Se sua filha ou seu filho quer um espaço próprio, é sinal de que eles são saudáveis.

Se seu cônjuge quer tempo para se ocupar mais das coisas dele, é sinal de que a chama da vida ainda pulsa em seu coração.

Quando seu funcionário pede mais desafios, é sinal de que vale o salário que recebe.

Sabe que é durante a batalha que se forma o guerreiro.

 

Sonhos escondidos

Cada indivíduo tem um sonho que deseja realizar.

Por vezes, as pessoas passam por crises tão grandes que ficam preocupadas apenas em conseguir o que precisam para sobreviver. Mas o sonho permanece em seu coração. Latente, mas vivo. A espera de ser novamente despertado.

Muitos não têm coragem de admitir seus sonhos. As derrotas os fizeram sufocá-los. Por trás do cinismo, contudo, continuam acreditando neles. Todos têm sonhos adormecidos, sonhos da juventude, sonhos da família. Uma das funções mais importantes de um líder é despertar a consciência do sonho adormecido na equipe.

Quando o reverendo Martin Luther King fez o seu hoje lendário discurso “Eu tive um sonho”, motivou o povo negro dos Estados Unidos a trabalhar por um movimento que permitisse que todos realizassem seus sonhos. Até então, os brancos pensavam que somente eles tinham direito de sonhar e que os negros não podiam ser mais que simples mão-de-obra.

Essas quatro palavras — “Eu tive um sonho” — serviram de alavanca para o gigantesco movimento pelos direitos civis dos negros americanos, que revolucionou os Estados Unidos.

Quanto mais os sonhos estiverem claros na cabeça das pessoas, quanto mais elas souberem o que querem da vida, mais agirão com determinação e confiança.

Lembre-se: a melhor maneira de realizar seus sonhos é ajudar o maior número possível de pessoas a realizar os delas.

Escreva em seu cartão de visita: assistente de realizadores de sonhos.

Descubra qual é o sonho do seu filho, do seu funcionário, do seu cliente, do seu chefe e ajude-os a realizá-lo. Por incrível que pareça, essa disposição lhe trará muito dinheiro e felicidade.

 

Gente adora vitórias e não criticas

 

Há chefes que estão sempre apontando os defeitos da equipe. Pensam que mostrar os erros servirá para que o grupo não se acomode. Em vez de motivar a equipe, tornam-se chatos. Ninguém gosta de estar em contato com seus problemas 24 horas por dia. Gente adora o prazer de conquistar.

As derrotas somente têm significado quando com elas adquirimos a consciência de que algo poderá ser melhorado.

Todos adoram vitórias e ficam eternamente gratos a quem os ajuda a conquistá-las, pois sua auto-estima aumenta demais, o que lhes traz felicidade.

O verdadeiro líder sabe mostrar o futuro à equipe de modo que deixe as derrotas no passado e comece a investir na próxima partida. Ele sabe motivar — dar motivo, dar razão para lutar.

Ajude as pessoas a construir suas vitórias não somente com palavras motivadoras, mas principalmente com orientações seguras — elas terão prazer em lutar a seu lado.

 

 

 

Gente adora sonhos grandes

 

“Uma coisa só é impossível até que alguém duvida e acaba provando o contrário.” Albert Einstein

 

Sonhos pequenos cansam. Sonhos grandes motivam.

Sonhos pequenos não criam a vontade de levantar mais cedo da cama para fazer um sacrifício. Sonhos grandes dão energia para que a pessoa nem vá dormir.

Sonhos pequenos não contagiam ninguém. Sonhos grandes mobilizam o universo.

Sonhos pequenos criam um monte de empecilhos. Sonhos grandes produzem milagres.

É impressionante a quantidade de empresários que vivem na marca do pênalti porque não percebem que programaram o cérebro para um objetivo pequeno. Sempre chegam ao fim do mês com pouco dinheiro. Sua maior aspiração é poder entrar no mês seguinte. O objetivo é apenas sobreviver.

Eles não se dão conta de que os problemas começaram exatamente por causa dessa visão pequena da vida. Enquanto bancam os equilibristas na corda bamba, desmotivam não só a si próprios mas à sua equipe. Todos vivem em sobressalto. Não há entusiasmo que resista.

As pessoas adoram sonhos grandes. Gostam de pensar grande. Sonhos grandes estimulam a vontade de estudar, de crescer e de se aperfeiçoar. Uma das sensações mais gostosas que existem é saber que estamos nos sacrificando para construir algo que vale a pena.

O pai campeão aproveita a motivação do filho para lhe conseguir uma bolsa de estudo ou para procurar alguém que se disponha a ensiná-lo. Pais campeões são os que ajudam os filhos a acreditar na capacidade de realizar o impossível.

O nadador campeão Gustavo Borges diz o seguinte: “Somente um sonho grande nos motiva a acordar todos os dias às cinco da manha para mergulhar numa piscina”.

Quando seu funcionário estiver desanimado, chame-o e converse a respeito dos sonhos dele.

Napoleão dizia que a palavra impossível só existe no dicionário dos derrotados. Não considere nada impossível quando se tratar dos próprios sonhos.

Estacionar na vida é uma doença muito

grave. Deve ser tratada, para que o

enfermo possa resgatar sua força de

evolução e deixar de contaminar

quem convive com ele.

Uma das principais funções de um líder é abrir espaço para o crescimento das pessoas. Novamente a família é um bom exemplo. Se o pai for um líder, se desdobrará para ajudar o filho que concluiu a faculdade a fazer especialização no exterior. O pai que reclama de que o filho não sossega inibe a vocação do garoto para desabrochar.

O preço dessa imposição, para quem tem talento e potencial, é a frustração.

Os sufocadores de sonhos demonstram um padrão de comportamento: acusam os sonhadores de insaciáveis, de eternos insatisfeitos. Dizem que estão sempre inventando novidades, como se essa busca fosse algo pejorativo.

Não percebem que o apetite pela vida e pelas “novidades” se manifesta justamente nas pessoas em processo de crescimento.

Para um campeão, sonhar é o começo. O sonho somente se completa quando se transforma em realidade. O campeão jamais se habitua à derrota. Para ele, a derrota é apenas um degrau para chegar à vitória. Sabe que vencerá na próxima vez.

Um médico que considere normal a perda de um paciente no fundo está convidando toda a sua equipe e os demais a desistir da cura, a abandonar a luta.

Os atletas de alta performance têm algo em comum. Lutam por seus sonhos na mesma proporção que se incomodam com a derrota. Cada um à sua maneira pensa: “Não sei se minha batalha nos treinos e nos jogos é por gostar tanto da vitória ou por odiar a derrota”. Por isso se aplicam com empenho máximo a tudo o que fazem.

O CLIENTE É FUNDAMENTAL

As empresas precisam resgatar o sentido da humanidade, convidar as pessoas a se sentir importantes. Infelizmente, muitas delas ainda não fizeram essa descoberta. Tratam o cliente como uma coisa qualquer, sem se dar conta de que provocarão descontentamentos e arrumarão um inimigo. O cliente maltratado soltará um rojão quando a empresa sofrer alguma derrota.

Comprei quatro cartões telefônicos. Na hora que precisei deles, nenhum funcionou. Quando voltei à cidade, fui à agência da empresa telefônica e pedi a troca dos cartões. A moça do atendimento os testou, confirmou o defeito, mas disse que, pelo regulamento, só poderia trocar dois cartões por vez. Insisti, porém ela permaneceu irredutível. Então fiz o seguinte: pedi que trocasse dois, saí da loja, entrei imediatamente de novo, cumprimentei-a e perguntei-lhe se poderia trocar os outros dois cartões. Ela respondeu que desse jeito podia. E trocou.

Minha experiência mostrou que é uma empresa que não valoriza o cliente, e sim seus regulamentos, os quais, como constatei, são estúpidos.

Muita gente se sente importante quando leva os outros a se sentir insignificantes. E aquele funcionário da repartição que tem visível prazer em anunciar o fim do expediente para saborear a decepção das pessoas que estão na fila. Por orgulho de exercer poder, mesmo que seja uma migalha dele, obriga o outro a voltar no dia seguinte. Não lhe passa pela estreita cabeça que ele mesmo poderia estar do outro lado do balcão e que, se estivesse, certamente gostaria de ser respeitado. Não entende que o tempo da ditadura já acabou. Um cliente insatisfeito escreverá para os jornais e voltará a opinião pública contra a empresa.

 

O LIDER PARTILHA OS MERITOS

Hoje se observa que as pessoas bem-sucedidas são aquelas que se sentem importantes por ajudar os outros a se sentir importantes.

Líder é aquele que faz cada pessoa da equipe se considerar peça fundamental no trabalho. Quando comanda um time, o massagista, o roupeiro e o fisioterapeuta sentem-se tão cobertos de glória quanto o capitão que ergue a taça.

A sensação de ser importante para o grupo e para a sociedade move as pessoas. Se não fosse assim, duvido que um policial, recebendo o equivalente a cinco salários mínimos por mês, saísse às ruas para enfrentar marginais, cercar favelas, fazer rondas na escuridão. Qual seria o sentido de enfrentar esses perigos?

O líder que consegue transmitir às pessoas a importância do trabalho delas também consegue que seu desempenho conjunto vá muito além do salário.

Muitos costumam dizer que a parte ruim do sucesso é a inveja que provoca. Grande engano. As pessoas só o invejarão se sua vitória tiver sabor de derrota para elas. Se suas vitórias levarem as pessoas a obter os próprios triunfos, esteja certo de que torcerão por você, irão aplaudi-lo e comemorar com você.

 

Quer ter sucesso? Ajude as pessoas a ter sucesso!

Quer ser feliz? Ajude as pessoas a ser felizes!

Simples como o nascer do sol…

 

Coração não se abre com hora marcada. O coração só se abre com espontaneidade, no momento em que precisa! Tantas vezes que falar e não é ouvido. Quer que seus sentimentos sejam valorizados.

No mundo tecnológico de hoje, cada vez mais as pessoas sentem necessidade de alguém que se importe com elas. Ninguém quer ser mais um na vida do outro. E só haverá encontro se reaprendermos a olhar o próximo.

E no silêncio que o encontro se revela e acontece. As palavras até podem ajudar, mas em geral atrapalham, pois são menores que seu significado.

Quase sempre é no silêncio que o encontro se dá. Em algumas empresas brasileiras, equipes têm o hábito de, antes de o expediente começar, dar-se as mãos e rezar um pai-nosso. Ótimo. Na oração se realiza o encontro com Deus e com os amigos de trabalho.

SOLUÇÃO DO PASSADO PODE NÃO SER SOLUÇÃO DE HOJE

CERTA VEZ, DUAS MOSCAS CAÍRAM NUM COPO DE LEITE. A primeira era forte e valente. Assim, logo ao cair, nadou até a borda do copo. Como a superfície era muito lisa e suas asas estavam molhadas, porém, não conseguiu escapar. Acreditando que não havia saída, a mosca desanimou, parou de se debater e afundou.

Sua companheira de infortúnio, apesar de não ser tão forte, era tenaz e, por isso, continuou a se debater e a lutar. Aos poucos, com tanta agitação, o leite ao seu redor formou um pequeno nódulo de manteiga no qual ela subiu. Dali, conseguiu levantar vôo para longe.

Por favor, continue lendo esta história até o fim.

Tempos depois, a mosca tenaz, por descuido, novamente caiu num copo, desta vez cheio de água. Como pensou que já conhecia a solução daquele problema, começou a se debater na esperança de que, no devido tempo, se salvasse.

Outra mosca, passando por ali e vendo a aflição da companheira de espécie, pousou na beira do copo e gritou:

“Tem um canudo ali, nade até lá e suba”.

A mosca tenaz respondeu:

“Pode deixar que eu sei como resolver este problema”.

E continuou a se debater mais e mais até que, exausta, afundou na água.

Soluções do passado, em contextos

diferentes, podem transformar-se em

problemas. Se a situação se modificou,

dê um jeito de mudar.

 

Quantos de nós, baseados em experiências anteriores, deixamos de observar as mudanças em redor e ficamos lutando inutilmente até afundar em nossa própria falta de visão?

Criamos uma confiança equivocada e perdemos a oportunidade de repensar nossas experiências. Ficamos presos a velhos hábitos que nos levaram ao sucesso e perdemos a oportunidade de evoluir.

Os donos do futuro sabem reconhecer essas transformações e fazer as mudanças necessárias para acompanhar a nova situação.

Infelizmente, soluções do passado podem transformar-se em problemas no presente.

É preciso estar atento

“Se a única ferramenta que você tem

é o martelo, você tende a tratar tudo como

se fosse um prego.”

Abraham Maslow

 

Não é mostrar que sabem, e sim fazer as coisas acontecer. Sabe por que você ainda não realizou seu sonho? Porque falta alguma coisa em sua maneira de pensar ou agir.

O restaurante que aprende a criar a felicidade de seus clientes vive lotado, porém no momento em que passa a pensar somente no lucro é abandonado pela clientela.

Estar atento é fundamental para não diagnosticar um problema tarde demais. Essa não é uma frase adequada somente para o tratamento de um paciente com doença terminal, mas para tudo na vida.

É melhor descobrir que a empresa está com problemas numa reunião de plano estratégico do que na hora do balanço financeiro.

É triste descobrir que é preciso mudar quando uma situação chega ao limite do suportável.

O sucesso exige o esforço permanente de evoluir.

 

“Nós nunca vivemos, mas sempre

estamos na expectativa de viver.”

Voltaire

 

Quando a vida das pessoas está dando para o gasto, elas têm a tendência de manter o rumo e só se dão conta de que deveriam ter mudado quando algum problema grande aparece no meio do caminho.

A empresa já estava indo mal, mas não se fez nenhuma correção porque dava para tirar algum dinheiro. O casamento já estava ruim, mas ninguém reclamava, até que um dos dois resolveu ir embora. As pessoas só percebem que se distraíram quando o problema já está muito complicado.

Não nota que todo dia o mundo evolui e elas estão ficando para trás. De repente, as mudanças se acumulam de tal forma que lhes faltam pernas para acompanhá-las. Só valorizam a necessidade de rastrear essas mudanças quando perdem o que têm. E aí só lhes resta chorar sobre o leite derramado.

Os donos do futuro estão sempre em movimento para melhorar mais.

Num célebre discurso diante do Senado romano, Júlio César tocou nesse assunto. O império continuava sólido e poderoso, mas César cobrou empenho de seus comandantes, que tinham sido heróis em campanhas passadas e naquele momento se entregavam às delícias do poder. “Vocês, que eram ágeis e ousados”, advertiu, “estão gordos e pesados, pensam apenas em suas vilas e festas.”

 

Abra os olhos para o mundo

 

“Quem quer que deseje sucesso constante deve

mudar sua conduta de acordo com os tempos.”

Machiavelli

           Muita gente tem dificuldade de perceber as mudanças porque está isolada do mundo. Fica fechada em casa, no escritório ou no consultório, e não sai para ver a vida desenvolver-se lá fora. Tranca-se em seu mundinho e não abre as janelas.

Toda emissora tem um grupo que pesquisa as reações do público à história e aos personagens. Com base nessa apuração, personagens são cortados ou entram na trama. Se algo está na novela, é porque o público o aceita.

             Estar atento às transformações e saber utilizá-las é uma virtude indispensável aos donos do futuro.

O primeiro executivo brasileiro do setor de exportação de suco de laranja que começou a estudar a meteorologia da Flórida para saber por antecipação se os laranjais da região seriam afetados pelo inverno deve ter trazido muito dinheiro para sua empresa.

O futebol é um bom exemplo. Hoje os jogadores devem ser polivalentes. Se um ponta-direita insistir em jogar à moda antiga, apenas naquela faixa tradicional do campo, não terá carreira longa. Vai receber menos a bola e participar pouco da partida. Acabará no banco de reservas. Ao fim do contrato, será dispensado. Terminará seus dias num clube pequeno.

 

MUDAR ANTES PARA NÃO SE LAMENTAR DEPOIS

Por isso é preciso perceber a insatisfação antes que os resultados sejam insatisfatórios. E necessário criar dentro de si a percepção de que é fundamental mudar antes de começar a trilhar um caminho de sofrimento.

A vida vai ficando cada vez mais pesada.

E importante perceber que tudo o que ocorre em nossa vida pessoal e profissional é resultado de um trabalho que está sendo construído há algum tempo.

O que está acontecendo em sua vida,

seja positivo, seja negativo, é resultado de

um processo que você pôs em movimento.

 

Quando os resultados não são os esperados, chegou a hora de mudar. Muitas pessoas vivem iludidas pensando que os resultados mudarão sem que façam algo diferente. Vivem mergulhadas na “neura”.

Sabe o que é neura?

É fazer as mesmas coisas e esperar que os resultados sejam diferentes.

Muitas pessoas, em vez de mudar, ficam agressivas como animais selvagens ao ser atacados. O perdedor age como um animal na jaula: fica agitado porque se sente sacaneado. Na verdade, vive prisioneiro numa jaula construída por sua imaginação. A vantagem é que essa jaula não tem grades de ferro. É confeccionada de ilusão, e ele é o dono da chave. Pode sair de lá quando quiser.

Não adianta reclamar se o colega for promovido e você não. Adianta perguntar-se o que ele fez para merecer a promoção e como você pode mostrar sua competência para ser mais valorizado.

Tampouco resolve lamentar que o sócio seja ladrão. Quantos amigos você tem que possuem sócios honestos? Por que eles escolheram melhor que você?

E inútil chorar a partida da pessoa amada. Vale mais questionar por que não consegue aprofundar os vínculos de seus relacionamentos afetivos. O que está acontecendo? Por que ela não quis ficar com você?

Cada um de nós tem uma área da vida que necessita ser cuidada com mais atenção. Se alguma parte de sua vida anda aborrecida e sem sal, é sinal de que precisa ser mais bem cuidada. Afinal de contas, é sua felicidade que está em jogo.

É claro que ninguém pode comprar a alegria de viver na padaria da esquina. Temos de aprender a conquistá-la. As lições estão dentro de nós. Precisamos ser professores e alunos de nós mesmos.

Na vida, quanto mais teimoso for o aluno, mais as aulas serão dolorosas. Quanto menos o aluno aprender, mais a vida vai bater pesado para que acorde e aprenda.

Negar uma necessidade nunca foi boa solução. O problema vai continuar até a pessoa se convencer de que precisa sair daquela situação e começar algo novo. Essa é a lição que está fazendo falta. Quando nos recusamos a aprendê-la, o problema se agrava.

Fazer as mesmas coisas e esperar que os resultados mudem é acumular sofrimento. Isso nos deixa amargos.

Na vida, nós somos problema ou solução. Se formos parte do problema, ninguém vai gostar de ficar ao nosso lado. Se formos solução, conseguiremos fazer com que os outros tenham vontade de estar conosco e nos ajudar.

Quem aprendeu a simplificar a vida desfruta cada dia com alegria. Quem só aprendeu a reclamar de tudo terá de agüentar o peso da vida por mais algum tempo.

É fundamental ter maturidade para perceber que não adianta querer mudar o outro se não conseguir transformar-se.

 

DE EXEMPLOS

O pai que, ao chegar em casa, atira um sapato para cada lado não pode exigir comportamento diferente do filho.

Pais, lembrem-se: os filhos crescem olhando para suas costas e seguindo seus pés. Para ajudá-los a mudar, é preciso que vocês mudem primeiro. Não peçam a eles o que vocês não são capazes de fazer.

Alguém que está comprometido com a

mudança precisa, sobretudo, despir-se da

arrogância da certeza, a jóia mais

brilhante da coroa do individualista.

 

HUMILDADE FAZ MUITO BEM

Ele acha que sabe tudo, decide tudo, pensa que o mundo não gira sem ele. Por que alguém que tem tantas certezas ouviria a opinião alheia, pressentiria as necessidades dos outros ou acharia que as coisas que são do seu jeito precisam ser mudadas?

 

Os construtores do Titanic fizeram um navio indestrutível que não durou uma viagem.

O reino espanhol, para destruir a Inglaterra, lançou ao mar a Invencível Armada, derrotada pelos ingleses.

Na final da Copa de 1954, contra a Alemanha, na Suíça, o atacante Puskas, capitão da seleção húngara, entrou em campo mesmo machucado porque queria erguer a taça. Os húngaros tinham tanta certeza de sua superioridade que se julgavam capazes de vencer com um jogador a menos. Foram derrotados por 3 a 2.

Na Olimpíada de Berlim, em 1936, Hitler acomodou-se na tribuna de honra para ver seu campeão ariano ganhar a medalha de ouro dos 100 metros rasos. Viu um sensacional negro americano chamado Jesse Owens chegar em primeiro lugar.

Em 1950, às vésperas da decisão com o Uruguai na Copa do Mundo, a seleção brasileira fez um churrasco comemorativo e posou com a faixa de campeã para adiantar o expediente dos jornais da segunda-feira. Todos sabem o que aconteceu.

Deus não coloca os problemas em nossa vida para nos sacanear. Deus é inacessivel ao mal e não tenta ninguém (Thiago 1,13b ) Dificuldades são oportunidades de crescimento. Os problemas, depois de superados, mostram-nos nossa verdadeira capacidade.

Curtem uma imensa alegria de viver porque superaram desafios.

Tem gente que não quer ser feliz nem empurrada, quanto mais a porrete. Envolve-se em pequenos problemas, faz tempestade em copo d’água e acaba transformando camundongo em elefante. Julga-se o ser mais infeliz da face da Terra e, por se sentir profundamente injustiçada, torna-se frustrada, dura e cínica.

 

Por exemplo: Fulano está desempregado outra vez, só que agora acha que é pelo motivo B. Antes disso foi pelo motivo A. Como não percebe que o filme é o mesmo, faz aquela cara de surpresa. É como assistir a um vídeo de final de campeonato em que você sabe que seu time perdeu, mas acha que desta vez a bola vai entrar no gol.

E importante que se questione o tempo todo para não repetir o mesmo comportamento. Diga a si mesmo:

Chega de repetir o mesmo filme

na minha vida.

 

Mudanças não ocorrem amanhã. Acontecem agora, no momento em que nos damos conta de nossa capacidade, de que podemos ter uma vida mais plena.

Quem realmente quer emagrecer começa agora. Não existe momento melhor do que este para iniciar um processo de mudança.

As mudanças começam quando as pessoas se sentem insatisfeitas com seu padrão de vida. Quando percebem que têm capacidade e potencial para viver melhor. Portanto, não adie as mudanças para daqui a um segundo. Elas têm de começar agora.

A cada momento você toma decisões que vão mudar sua vida. São essas pequenas decisões que definem como ela será.

Uma das decisões mais importantes de quem quer mudar é jogar fora tudo aquilo que se tornou desnecessário.

Um gato apareceu no mosteiro durante a meditação de fim de tarde. Subia nas pessoas e esfregava-se nas pernas delas, distraindo todo o grupo. Passou a fazer isso todos os dias, e alguém precisava interromper a meditação para tirar o gato dali. Como ele sempre voltava, resolveram nomear um guardião para o gato. Sua função era cuidar para que o bicho não atrapalhasse a meditação.

Um dia, muitos anos depois, o gato morreu. Sabe qual foi a primeira atitude do guardião? Pedir dinheiro para ir à cidade comprar outro gato.

Observe: um dia foi preciso nomear um guardião para cuidar do gato. Agora comprariam um gato para manter um trabalho desnecessário. Ora, se não é mais preciso ter guardião, não se compra mais gato! O ex-guardião poderia ser utilizado em outras funções, como cuidar do jardim, da limpeza do mosteiro, da comida ou zelar pelos textos sagrados. Faria algo novo em vez de ficar aprisionado a um hábito.

Você pode ser o dono do seu destino. A única condição é que precisa tomar essa decisão agora!

Para transformar sua vida, antes de mais nada, você precisa ter vontade genuína de mudar. Claro que vai enfrentar dificuldades, pois elas fazem parte de qualquer processo de mudança.

Quem quer conquistar uma montanha encontra muitos obstáculos no caminho, mas nada será capaz de desanimar os donos do futuro.

 

 

 

 

A primeira pedra no caminho da mudança

 é o medo do desconhecido.

 

Todo mundo tem esses confortos. As pessoas gostam de garantias e de coisas com as quais estão acostumadas, mesmo que sejam pequenas e insatisfatórias. O conhecido nos dá uma sensação de proteção. “Ruim com ele, pior sem ele”, diz o ditado. Pensando assim, muitas mulheres ficam casadas durante vários anos com alcoólatras que transformam sua vida num tormento.

O ser humano tende a deixar como está para ver como fica. Não se mexe em time que está ganhando, mesmo quando ele anda perdendo as últimas partidas…

O hábito nos leva sempre ao mesmo lugar. E conservador. O problema é que a vida não gosta de repetições. Pelo contrário, exige criatividade. A linha de montagem adora repetições, mas o casamento precisa de ar novo, o diálogo com o filho, de novas posturas, a empresa que quer vencer, de ações inovadoras.

Você, que está investindo em um novo momento de seu casamento, siga um conselho: arrisque-se, vá a um restaurante diferente. Quebre rotinas, mude padrões, crie espaço para redescobrir as pessoas lindas que vocês são e a inércia do casamento impede que aflorem.

 

A terceira pedra no caminho da mudança

é a auto-imagem.

 

As pessoas procuram se definir: sou corajoso, sou esportivo, sou tímido. Depois de estabelecer uma imagem, vivem para mantê-la. Param de se renovar e acabam escravas dos rótulos que criaram para si mesmas ou que os outros lhes deram.

As secretárias vivem uma crise de identidade porque sua função ficou associada ao auxílio a outro profissional. Hoje os gerentes não precisam de alguém que os ajude, e sim de quem trabalhe junto deles. As secretárias que não conseguem abandonar a identidade de serviçais estão tendo dificuldade de evoluir. Aquelas que percebem que seus instrumentos de trabalho mais importantes não são o telefone nem o computador, e sim a criatividade e a iniciativa, podem continuar crescendo.

Lembre-se: o importante não é sua imagem, é você!

Quem mudou e se deu mal fica traumatizado. O profissional que saiu de uma empresa para montar o próprio negócio e falhou dificilmente quer ouvir falar de mudanças. Deseja ficar no seu canto, tocando a vida, mesmo que surjam oportunidades imperdíveis.

Lembre-se: as derrotas são as melhores lições de vida quando desenvolvemos nossa capacidade de superação.

Thomas Edison, o inventor da lâmpada, criou centenas de protótipos que não funcionaram. Um dia, no meio dessas tentativas, alguém lamentou: “Que pena que você fracassou tantas vezes!” Ao que ele respondeu: “Eu nunca fracassei, descobri centenas de maneiras de como não construir uma lâmpada”. O final da história todos conhecemos.

Não importa quantas vezes você cai. O triste é deixar de se levantar. Tropeços fazem parte da vida e são as melhores lições que podemos ter.

É isso mesmo: mudar é também uma questão de treino. Simplesmente deixar de fazer o que foi automatizado e treinar o novo comportamento desejado.

Quando temos amigos que aproveitam o estímulo de nossas mudanças para crescer a nosso lado, isso se transforma numa alavanca sensacional do sucesso.

Crescer significa ter a ousadia de explorar o desconhecido. Viver em segurança é como viver na pobreza. Quem quer viver somente o conhecido precisa se acostumar com pouco.

O grande desafio é fazer o que nos propusemos mesmo com o medo por perto.

Todo mundo sabe que é preciso gostar do que se faz. Isso é fundamental, importantíssimo, mas as vitórias são construídas sobre coisas que gostamos e também sobre outras que não gostamos de fazer.

Quando saem da faculdade, muitos jovens têm a ilusão de que vão fazer só o que gostam. Ilusão que os primeiros dias de trabalho destroem.

Muita gente pensa que escolheu a profissão errada e começa outra faculdade até descobrir que qualquer carreira tem seu lado chato. Precisamos aprender a colocar o máximo prazer em nosso trabalho, mas temos também de fazê-lo com a máxima qualidade, mesmo que isso implique horas e horas de desprazer.

Um jornalista recém-formado sonha escrever artigos e reportagens que vão abalar o país. É justo que sonhe e deve continuar sonhando, mas o chefe de reportagem lhe ordena que escreva sobre o “buraco de rua”, que, no jargão da redação, é o assunto menor. Faz parte do jogo, do aprendizado. Tem de ser feito. E muitas vezes é o que diferencia o profissional do amador.

 

 

 

O sábio pergunta: “Que aprendizado está me faltando para superar esse desafio?”

O tipo de pergunta determina o grau de aprendizado e a escolha do caminho. Perguntas sábias estimulam o crescimento. Perguntas- de vítima reforçam essa postura.

A pessoa que deseja saber quem a está sacaneando se atola cada vez mais em seu mundo pobre. Aquela que procura a solução encontra muitas opções.

 

Diante de um problema, faça estas perguntas:

    Quem pode me ajudar a sair disto?

    Quem pode me orientar neste momento?

    O que posso fazer de diferente nesta situação?

    Quem tem a resposta daquilo que procuro?

  O que preciso mudar em mim para superar este problema?

 

Ao vencer um obstáculo, o sábio se sente muito bem consigo próprio porque descobriu uma força que não conhecia. E, mesmo que não chegue ao sucesso na primeira vez, o esforço de experimentar e o aprendizado adquirido vão inevitavelmente levá-lo à vitória.

Eleve seus padrões

 

Mudar e evoluir exigem que se olhe para o alto.

Quem olha para trás acaba batendo a cabeça no muro. Não olhe para quem não conseguiu realizar suas metas.

Um dia um estudante de Publicidade me perguntou se sua carreira tinha futuro. Respondi que sim, pois as pessoas e as empresas sempre precisarão divulgar seu trabalho. Ele comentou então que havia conversado com seu tio, dono de uma agência falida, e ele lhe dissera que esse tipo de negócio estava decadente.

Por favor, conversar com alguém que quebrou só nos ajuda quando ele tem a humildade e a sabedoria de assumir a responsabilidade por seus erros. A maioria das pessoas que quebram joga a culpa do fracasso no governo, na situação econômica do país, no Plano Collor. Conversar com elas serve apenas para aumentar o repertório de desculpas.

Pergunte sobre casamento a quem tem uma relação legal.

Pergunte sobre medicina a um médico de carreira bem-sucedida.

Você vai observar que eles têm ambições altas. Se alguém deseja ter sucesso, precisa sempre elevar seu padrão.

Sempre que você quiser algo pergunte-se: “Quem está conseguindo o resultado que eu gostaria de obter? Como essa pessoa pensa e age?” Você descobrirá que sua forma de agir é compatível com a meta que deseja alcançar.

Os técnicos esportivos sempre orientam os atletas a observar o jeito de atuar dos campeões.

Uma pesquisa da National Hockey League (NHL), a liga de hóquei americana, revela que os primeiros vinte entre os quinhentos melhores jogadores de hóquei agem de maneira completamente diferente dos demais. Procure incorporar as referências dos campeões a suas mudanças. Faça como os melhores de seu setor.

Elevar o padrão é procurar sempre melhorar a qualidade das idéias, dos sonhos, das ações, dos amigos.

Um adolescente jogador de tênis que deseja tornar-se profissional nesse esporte precisa aumentar seu padrão de referência. Não adianta comparar-se aos outros praticantes do clube, pois o padrão deles é de amadores. Quem deseja ser profissional deve definir exatamente o que quer, qual é seu sonho, ter aulas com o melhor professor que conseguir encontrar e eleger como modelos os maiores tenistas do mundo. Deve sempre aumentar seu standard para aprimorar seus resultados.

Se seu filho foi reprovado pela segunda ou terceira vez no vestibular, é preciso reavaliar a eficiência do seu sistema de estudo, descobrir o que se passa na cabeça dele, e toda a família deve assumir a responsabilidade por esse insucesso.

Se você não consegue manter nenhum emprego, isso é sinal de que precisa analisar sua competência profissional. Acusar o governo e as empresas não resolve seu problema de desemprego.

Se você não é capaz de conservar uma relação afetiva estável, está na hora de analisar sua maneira de amar. Responsabilizar os homens, as mulheres e a vida agitada por sua solidão não vai saciar sua sede de afeto.

Não mude o sonho, mude em você ou em sua forma de agir aquilo que o impede de realizar esse sonho.

Muitas pessoas diminuem o tamanho do sonho na esperança de conquistar um pouco de tranqüilidade, mas, na verdade, querem apenas convencer a si próprias de que são menores do que realmente são.

Contudo, à medida que os resultados não se mostram compatíveis com a energia despendida, começa a desistir do sonho. Não mude seu objetivo, mude sua estratégia.

A desistência é o caminho mais rápido para chegar à depressão.

Quem desiste de um sonho passa a viver abaixo de seu potencial e começa a murchar.

Mantenha seu objetivo, analise suas ações, monitore seus resultados, corrija a rota até que as coisas passem a funcionar. Quem não consegue mudar o processo também não muda os resultados.

 

Um plano de ação

Mudanças ocorrem com hora marcada!

1- Escreva o que pretende mudar, o que quer. Eis alguns exemplos de mudança:

    Ser mais organizado.

    Dialogar mais com os filhos.

    Traçar projetos com a equipe.

    Ouvir mais as pessoas.

 

2- Escreva detalhadamente como sua vida vai melhorar quando você conseguir fazer essas mudanças. Quanto mais claros forem os benefícios das mudanças, maior motivação você terá para se transformar.

3- Escreva o que você perde por não mudar. Quais serão as conseqüências negativas em sua vida se continuar como está? Mudamos por desejar algo melhor para nós e para as pessoas que amamos, mas também pelo medo de perder o que já conquistamos.

4- Faça uma relação das pessoas que podem ajudá-lo a realizar seu objetivo.

5-  Agora crie o projeto desse processo de mudança. Organize as etapas. Escreva em cada uma: o que você vai realizar, como vai realizar e quando isso vai acontecer. Lembre-se de que mudanças ocorrem com hora marcada. Procure sempre responder a três perguntas básicas na elaboração de um projeto: o quê, como e quando.

Bem, é chegado o momento de pôr mãos à obra! Uma das fórmulas do sucesso é informação + ação = resultado. Se você está fazendo tudo conforme o planejado e o resultado não aparece, pare e reformule o plano. Não diminua sua expectativa.

Sucesso!

 

Transforme o compromisso em ação

Todo processo de mudança começa com o pronome pessoal mais importante de nossa vida: eu. Sempre seguido de um verbo de ação:

Eu vou estudar inglês.

Eu vou acabar a faculdade.

Eu vou fazer uma reunião com minha equipe.

Eu vou sair com meus filhos duas vezes por semana.

Eu vou ler a biblia todos os dias.

Eu vou orar todos os dias.

 

Você só consegue mudar uma pessoa neste planeta: você mesmo. Mudar o outro é conseqüência de sua mudança.

Trabalhe consigo mesmo. No começo tudo parece forçado. Depois, vem uma fase em que achamos que as coisas não vão funcionar e, de repente, um dia tudo se encaixa. O treinamento se transformou em hábito.

O próximo passo será tornar o hábito em virtude. Aí fica fácil: os amigos comemoram, você se orgulha da vitória e a auto-estima brilha.

Um recado importante

 

“A sinceridade não é dizer tudo o que se pensa,

mas crer em tudo o que se diz. “

Tito Lívio

O ser humano pode crescer, fazer com que sua vida seja melhor, construir sua felicidade. Mas, se esquecer seus princípios, será infeliz. Ou causará a infelicidade alheia. Ou, pior, fará ambas as coisas.

“Os valores de minha vida são fundamentais. Sei que vou receber pressões para mudá-los, mas eles precisam ser mais fortes que essas pressões, pois dão sentido a meu trabalho e a minha vida”, disse uma vez Ayrton Senna.

Não abra mão de seus valores para ter sucesso ou conservá-lo. Pessoas como Senna e Betinho provaram que é perfeitamente possível ser bem-sucedido e preservar a integridade.

Mude e cresça. Mas não abandone sua alma em um canto qualquer!

Sucesso é conseguir o que você quer.

felicidade é conquistar o que você precisa.

sucesso sem qualidade de vida não é sucesso.

“O futuro não é um presente, é uma conquista.”

Harry Lauder

A VERDADEIRA FELICIDADE DA VIDA EM PEQUENOS DETALHES

 

O SUCESSO É CONSTRUÍDO SOBRE CONQUISTAS MATERIAIS, mas a felicidade é construída sobre percepções. Muitas pessoas não percebem que os maiores tesouros já foram conquistados. Fixam o olhar no que falta atingir e não desfrutam o que está ao lado delas. Os donos do futuro criam o amanha e desfrutam o presente.

A maneira de perceber o que se tem e o que se é define a sensação de plenitude na vida. Uma pessoa que ganha 1 milhão de dólares por ano pode se achar pobre porque, ao se comparar com bilionários, considera que ainda ganha pouco. Por outro lado, alguém que recebe mil dólares por mês pode se sentir milionário, pois consegue curtir cada centavo aproveitando a vida.

Para ser feliz, é fundamental que você perceba quais são seus parâmetros, o valor que confere àquilo que conquistou. Cuide bem de sua percepção. Não defina suas metas com os olhos, e sim com o coração.

Quanto vale o sorriso de um filho? Pergunte a um milionário que acabou de perder o filho. Vale todo o dinheiro do mundo, mas ele só percebeu que possuía esse tesouro quando o perdeu.

Quanto vale seu casamento? Muitas pessoas só percebem a riqueza do casamento tempos depois da separação, quando descobrem que viviam com o amor da vida delas.

Se não conseguirmos ter essa percepção de plenitud

Comments are closed.